Europa

Há atentados em Bruxelas? Chamem os gatos de volta

gatos atentados bruxelas

Em 2015, durante o ‘lockdown’ de Bruxelas, as autoridades pediram à população para não divulgar detalhes sobre as operações em curso e os internautas encheram as redes sociais com… gatos fofos. Hoje, com os atentados em Bruxelas, os vídeos e fotos de gatos estão de regresso.

Na noite de 22 de novembro do ano passado, enquanto a polícia montava um cerco aos terroristas que ficou conhecido como o ‘lockdown’ de Bruxelas, as autoridades da Bélgica apelavam à colaboração dos media e da população.

A polícia federal belga receava que o acompanhamento noticioso das operações policiais e o ‘jornalismo do cidadão’ na internet pudessem revelar detalhes que comprometessem o sucesso dessas mesmas operações.

Os principais jornais francófonos belgas (como o Le Soir, o L`Avenir e o L`Echo) acataram a recomendação, suspendendo temporariamente a cobertura noticiosa das operações, mas a maior surpresa veio do mundo virtual.

Os internautas passaram a usar a hashtag #BrusselsLockdown para, em vez de se referir à demarcação da zona da cidade onde decorriam as operações policiais, partilhar milhares de fotos e vídeos de gatinhos fofos.

Já este mês, durante um raide na comuna de Forest (Bruxelas), em busca de terroristas ligados aos atentados de Paris (França), a polícia federal voltou a pedir ajuda para que não fosse revelada qualquer informação sobre as operações.

A resposta dos internautas foi igual, com gatos fofos: só mudou a hashtag, que passou a ser #ForestLockdown.

Mais partilhadas da semana

Subir