Cultura

Futuro Museu da Resistência em Peniche atinge 50 mil visitantes em três meses

O futuro Museu Nacional Resistência e Liberdade, na Fortaleza de Peniche, ultrapassou os 50 mil visitantes decorridos três meses da reabertura oficial da antiga prisão política do Estado Novo, divulgou a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC).

Os dados revelados pela DGPC apontam para “um significativo afluxo” ao futuro Museu Nacional Resistência e Liberdade, que desde a abertura ao público da exposição “Por Teu Livre Pensamento” e a inauguração do Memorial aos Presos Políticos, a 25 de abril último, “já recebeu mais de mais de 50 mil visitantes”.

Na sua página na internet, a DGPC revelou que a cifra foi alcançada na terça-feira, dia 30 de julho, “decorridos três meses e cinco dias desde a reabertura oficial da Fortaleza”, localizada em Peniche, no distrito de Leiria, e que foi prisão política durante o regime do Estado Novo.

O futuro Museu Nacional Resistência e Liberdade, que será o 15.º museu nacional sob tutela DGPC, recebeu já “mais de três mil visitas guiadas de grupo e cerca de mil visitas com recurso aos audioguias”.

Só durante o mês de julho, segundo a DGPC, registaram-se 20.832 entradas no forte.

Durante a atual fase de instalação do futuro museu, o acesso à exposição “Por Teu Livre Pensamento” e a toda a área visitável da Fortaleza faz-se de forma gratuita, de quarta-feira a domingo, entre as 10:00 e as 18:00.

A inauguração do memorial (que tem inscritos os nomes dos 2.510 presos políticos que entre 1934 e 1974 passaram pela fortaleza) e da exposição “Por Teu Livre Pensamento” assinalou os 45 anos da Revolução dos Cravos e contou com a presença do primeiro-ministro, António Costa, numa cerimónia que marcou o arranque da futura instituição museológica.

O museu tem um custo estimado de 3,5 milhões de euros e deverá contar com 40 trabalhadores.

Mais partilhadas da semana

Subir