Desporto

“Fui proibido de ir à Benfica TV desde que critiquei Pedro Guerra”, diz António Simões

Campeão europeu pelo Benfica e um dos jogadores mais renomados na história centenária do clube da Luz, António Simões – que era apelidado por Eusébio como o seu “irmão branco” – assume que foi “proibido de ir à Benfica TV” desde que criticou Pedro Guerra. A glória encarnada é particularmente arrasadora com Pedro Guerra e Paulo Gonçalves.

“A partir do momento em que tive uma intervenção na Benfica TV onde fui coerente e verdadeiro e chamando as coisas pelos seus nomes” fui “proibido de ir à Benfica TV”, explicou o antigo jogador e capitão encarnado, lembrando as críticas que fez a Pedro Guerra, nomeadamente.

Questionado diretamente se está proibido de ir à Benfica TV, António Simões reforçou a frase.

“Completamente, completamente”, revelou, assumindo que “nunca” cobrou um “tostão” e “sempre” esteve “disponível para participar na Benfica TV”.

“Após essa minha intervenção houve gente que não gostou e imediatamente participaram ao senhor presidente para haver uma reunião de emergência no dia seguinte, às 10h00, para proibir o António Simões”, confirma, em entrevista à CMTV.

O antigo jogador aponta o dedo a gente que está “na comunicação do Benfica” para o seu afastamento da televisão oficial do emblema encarnado.

“Estou chateadíssimo. Faz-me imensa falta a Benfica TV. Nem durmo”, disse em tom irónico, revelando que tem sofrido outro tipo de “represálias”.

“Deixei de receber o email para assistir aos jogos no camarote presidencial. Se eu quiser ir para o camarote tenho de enviar um email para, no fundo, me convidar a mim próprio. Isto é ridículo e não faz nenhum sentido.”

O antigo jogador do Benfica, que partilhou o balneário com lendas do emblema encarnado como Eusébio, Mário Coluna e José Águas, avisa que “não” vai mais ao Estádio da Luz nestas circunstâncias.

“Não vou mais ao Estádio da Luz, ao estádio do meu clube, enquanto esta gente estiver no Benfica… enquanto Pedro Guerra e… um parece que já está fora, foi corrido. O outro ainda está lá e enquanto eu não olhar para o meu Benfica como eu gosto, com o meu amor pelo clube, eu não vou.”

Dez vezes campeão nacional de águia ao peito, António Simões, de 74 anos, espera ter uma imagem “diferente” do Benfica daqui em diante.

António Simões, que reconheceu sentir-se “magoado” com o que vê no Benfica atual, mostra-se ainda apreensivo com os casos onde o emblema encarnado é suspeito.

“Isto dói. É uma dor”, salientou, destacando, no entanto, o trabalho “meritório” de Luís Filipe Vieira.

Ainda assim, António Simões volta a ser duro na critica a quem “assume representar o Benfica” e volta a apontar o dedo a “Pedro Guerra mas há mais”.

O antigo jogador do Benfica clarificou que “não” é oposição “a Luís Filipe Vieira nem a qualquer outro presidente do Benfica” mas sustenta que é opositor “a gente que não presta”.

“Enquanto Deus nosso Senhor me der saúde serei opositor a gente que não presta e não serve o Benfica”, salientou António Simões.

“Gente como Pedro Guerra e Paulo Gonçalves, para mim, mesmo sem terem ido a tribunal já estão julgados”, atirou António Simões.

E explicou as razões. “Já não me tiram a mancha nem a dor do que sinto. Não me revejo nesta gente.”

Na entrevista na CMTV, o antigo jogador do Benfica assumiu que se se vier a provar que Luís Filipe Vieira “não tem nada que ver com todas estas coisas”, então “tem todas as condições para continuar” a liderar os destinos dos encarnados.

“Desejo que não tenha e que continue. Se for constituído arguido? Terá que ponderar a missão dele daí para a frente. Não sou futurista. Não sei qual vai ser a posição dele.”

Veja o vídeo com algumas declarações de António Simões.

Mais partilhadas da semana

Subir