Mundo

Falso médico atendeu mais de 4 mil doentes na Argentina

Ao longo de quatro anos, Guillermo Chauderón foi médico em várias clínicas na província de Buenos Aires sob um título profissional falso. O seu discurso científico e segurança nos diagnósticos nunca levantaram suspeitas, mas quando a fraude foi descoberta, Guillermo atentou contra a própria vida.

Há dez dias atrás, Guillermo Chauderón era diretor clínico da Clínica da União dos Trabalhadores do Metal de San Nicolás, tendo tratado, ao longo dos últimos anos, mais de quatro mil doentes, informa o La Vanguardia.

A segurança sentida nos seus diagnósticos bem como o seu discurso científico foram suficientes para que nunca tenha sido levantada qualquer suspeita relativa à sua formação.

Porém, um simples pedido burocrático pôs a sua situação a nu. Assim que foi descoberto, Guillermo atentou contra a sua própria vida, golpeando o tórax e o pescoço.

O “falso médico” luta agora contra a morte, ao tentar superar as graves feridas autoinfligidas.

De acordo com o jornal espanhol, nenhuma autoridade do município ou do Ministério da Saúde da província conseguiram explicar como alguém se consegue fazer pasar por médico durante tanto tempo, chegadno mesmo a chefiar uma unidade médica.

Agora com 30 anos, Guillermo Chauderón começou a sua carreira na medicina depois de terminar o ensino secundário, mas não chegou a concluir os estudos. Em 2012, foi eleito presidente da Unión Cívica Radical de San Nicólas tendo começado, pouco tempo depois, a trabalhar na região como médico de emergência.

Segundo o La Vanguardia, a proximidade com um autarca da região valeu-lhe uma transferência para a delegação de La Emilia, onde começou a trabalhar como médico.

Nesse sentido, falsificou a vinheta médica, sendo que o registo nacional utilizado corresponde a um médico e o registo provincial pertence a outro clínico reformado, de 90 anos.

Mais partilhadas da semana

Subir