Desporto

“Estou à disposição para ir à Judiciária falar em nomes”, diz Boaventura

Empresário revela na TSF que divulga os nomes dos árbitros nomeados para evitar que estes sejam coagidos e denuncia essa prática. E diz que está disponível para contar tudo o que sabe sobre os meandros do futebol e alegadas pressões sobre juízes.

César Boaventura tem divulgado, nas redes sociais, os nomes dos árbitros nomeados para os jogos da I Liga, o que levou o Conselho de Arbitragem a investigar os procedimentos, que deveriam manter-se sob sigilo.

Em declarações à TSF, nesta terça-feira, o empresário revela as suas motivações: evitar que “a informação saia do Conselho de Arbitragem” e servir, alegadamente, para que os árbitros sejam coagidos.

“Os árbitros têm visitas na escola dos filhos, na porta de casa. Andam coagidos e têm medo de falar”, refere.

“Qual será o meu interesse em divulgar os nomes dos árbitros? Será para eu os coagir? Se fosse esse o meu interesse fazia como todos os outros: calava-me muito bem caladinho”, acrescenta.

Boaventura revela as suas fontes de informação. “São pessoas ligadas a claques. São pessoas que não pactuam com esse tipo de coisas. Gostam de ser adeptos, de dizer a verdade. Têm coragem para falar e fazem-me telefonemas, mandam-me mensagens. Os adeptos de futebol gostam de transparência”, refere.

E diz-se disponível para falar com as autoridades: “Nunca fui contactado, mas estou à disposição. O meu telefone é público. Estou à disposição para ir à Polícia Judiciária falar em nomes, dizer quem, onde, como. Estou disponível para tudo isso. Vou guardar os nomes porque são úteis para as autoridades. Estou a dar a cara por uma luta pela limpeza no futebol”.

Boaventura não adianta, para já, identidades – “Muita gente sabe, mas tapam os olhos”, afirma –, mas promete fazê-lo. E assegura que não tem contactos privilegiados com juízes, “nem com pessoas do Conselho de Arbitragem”.

Mais partilhadas da semana

Subir