Motores

Elisabete Jacinto espera surpresas na segunda semana do Africa Eco Race

O dia de descanso do Africa Eco Race serviu para Elisabete Jacinto e todos os elementos da equipa Bio-Ritmo retemperarem forças para a segunda semana da prova, onde a piloto portuguesa espera surpresas.

A pausa cumprida em Dakhla serviu também para Elisabete perspetivar o que aí vem, com a saída de Marrocos e a entrada na Mauritânia, sendo que o faz partindo na liderança entre os camiões e na sétima posição da ‘geral’ absoluta conjunta com os automóveis.

Fotos: AIFA

Neste dia que também foi aproveitado para rever a mecânica do MAN TGS # 404, a piloto do Montijo e a equipa Bio-Ritmo ajustaram estratégias para os dias que aí vêm, com uma noção das dificuldades, embora fazendo um balanço positivo do percurso já ultrapassado.

“As etapas de Marrocos são sempre bastante difíceis e cansativas porque os percursos são muitos duros. Tivemos alguns problemas, mas nada que nos perturbasse muito ou que nos fizesse perder tempo em demasia. Estamos contentes com os resultados alcançados, particularmente porque nos esforçámos muito para conseguir ficar à frente destes camiões tão competitivos”, reflete Elisabete Jacinto.

A piloto do Montijo não tem dúvidas de que pela frente haverá dificuldades. Só não sabe quais: “Para os próximos dias não sabemos bem o que esperar porque a Mauritânia é sempre uma surpresa. Mas, vamos dar o nosso melhor e esperar que corra tudo bem”.

Para já Elisabete Jacinto está determinada a bater os seus adversários mais diretos na categoria de camiões, o belga Igor Bouwens e o checo Tomas Tomecek, sendo que a sua ‘arma’ tem sido a fiabilidade e a consistência. Atrás da equipa Bio-Ritmo, a 1h40m está o belga Noel Essers e em terceiro segue o seu conterrâneo Igor Bouwens que conta com uma diferença de 2h08m para os portugueses. Fora da equação está o checo Tomas Tomecek que sofreu na quinta etapa uma penalização de mais de 10 horas.

Depois do descanso disputa-se hoje a sexta etapa do Africa Race cumprida entre Dakhla e Chami. O dia começa bem cedo pois será necessário cumprir as formalidades alfandegárias para passar a fronteira para a Mauritânia ainda de manhã. A especial vai contar com 176 quilómetros cronometrados e a chegada ao acampamento a meio da tarde dará tempo suficiente para as assistências verificarem os veículos antes da jornada maratona.

9Shares

Mais partilhadas da semana

Subir