Europa

Dois migrantes incendeiam-se, na Grécia, após o fecho da rota dos Balcãs

migrantes incendeiam-se

O fecho da rota dos Balcãs, o ‘triunfo’ da União Europeia no acordo com a Turquia, levou dois migrantes a imolarem-se, no campo grego de Idomeni. Um foi travado a tempo por outros refugiados, enquanto o outro ficou com ferimentos ligeiros e foi internado num hospital grego.

Diante da tenda, dois homens, que alegadamente seriam de nacionalidade síria, tentaram imolar-se, em protesto contra o fecho da fronteira entre a Grécia e a Macedónia.

O ato ocorreu no campo de acolhimento de Idomeni, que fica junto a esta fronteira, fechada após o recente acordo entre a União Europeia e a Turquia para a ‘devolução’ dos migrantes ilegais.

“Estamos mais dispostos a morrer aqui do que voltar atrás”, terá gritado um dos homens, enquanto se regavam com gasolina.

Outros refugiados conseguiram impedir um deles de se incendiar, mas o outro conseguiu mesmo imolar-se, tendo sido socorrido de imediato.

Foi transportado, com ferimentos ligeiros, para um hospital nas proximidades.

Rota dos Balcãs

É através dos países dos Balcãs (Sérvia, Hungria, Croácia e Eslovénia) que muitos migrantes do Médio Oriente tentar chegar a países mais a norte, como Alemanha e Áustria.

Da Síria, os migrantes passam para a Turquia e cruzam o mar Egeu em embarcações sobrelotadas e muitas vezes já sem condições para navegar.

O recente acordo da União Europeia com a Turquia trava a rota na Grécia: cada migrante que não tenha documentos para o asilo será ‘devolvido’ à Turquia, que ‘em troca’ permitirá a passagem a um refugiado com a documentação necessária ao asilo num país da União Europeia.

9Shares

Mais partilhadas da semana

Subir