Justiça

Detenção de Bruno “é abuso inaceitável e violência inadmissível”, diz Sousa Tavares

Miguel de Sousa criticou a forma como Bruno de Carvalho foi detido, neste domingo, para ser presente a um juiz nesta terça-feira. O comentador diz que se trata de um “abuso inaceitável e uma violência inadmissível” a forma como a detenção decorreu.

“Por dever de consciência e por mais que Bruno de Carvalho me tenha sido um personagem antipático não consigo aceitar esta detenção prévia a qualquer coisa”, começou por dizer o comentador, na TVI.

O escritor e comentador prosseguiu depois.

“As pessoas são detidas depois de ouvidas por um juiz e quando o juiz entende que há indícios suficientes para os manter detidos em prisão preventiva, não podem ser detidas para serem levadas a um juiz, não podem, a menos que a pessoa fuja às convocatórias”.

Na TVI, Sousa Tavares salientou ainda que trata-se de “um abuso, uma violência injustificada, é uma humilhação injustificada”.

O comentador critica ainda esta detenção no aspeto em que deixa insinuar uma “culpabilidade da pessoa que ainda nem foi ouvida”.

“Isto é absolutamente inaceitável e inadmissível e repete-se sistematicamente.”

Sousa Tavares referiu ainda que é um “abuso total que se leve o computador pessoal da filha de Bruno de Carvalho”.

Veja o vídeo

“É uma adolescente e não vai ser arguida. Só se pode levar o que tenha relevância para o processo. Não se pode levar tudo. Tem que haver respeito pela privacidade alheia. A acusação de terrorismo é descabida. Destina-se a dizer que o processo é de complexidade.”

Bruno de Carvalho foi detido no domingo e será presente a um juiz de instrução criminal, nesta terça-feira, para primeiro interrogatório.

Mais partilhadas da semana

Subir