EUA

Descobriu assassino do irmão nas redes sociais 37 anos depois do crime

Penny Farmer, jornalista britânica, descobriu o assassino do irmão e da namorada nas redes socais, 37 anos depois do crime ter sido cometido, numa altura em que a Internet ainda não tinha dimensão. A história deu origem a um livro.

Chris Farmer e Peta Frampton foram encontrados sem vida em 1978, a flutuar junto à costa da Guatemala.

O assassino foi descoberto pela jornalista Penny Farmer, irmã do médico de 25 anos, assassinado juntamente com a namorada, de 24, quando passavam férias nas Caraíbas.

De acordo com a BBC, as vítimas foram torturadas e lançadas ao mar, com os corpos a ficarem num estado “monstruoso”. A jornalista conta que a investigação caiu por terra, mas que a sua dor perdurou.

Em 2015, revela, lembrou-se de pesquisar o nome do suspeito no Facebook e, de súbito, 37 anos depois do crime, ele estava ali, “à distância de um clique”.

A investigação de Penny alastrou-se à medida que os cliques se iam sucedendo, dando origem a uma história cada vez mais assustadora que se traduziu no livro ‘Dead in the water’, ‘Mortos na água’, publicado neste mês de agosto.

Segundo as informações da jornalista, os filhos de Silas Boston, o suspeito, afirmaram às autoridades que havia sido o pai a cometer o crime, mas que a polícia não os levou a sério.

“Não havia exatamente uma força de segurança na Guatemala, era um país de terceiro mundo”, sublinha Penny.

Russel Boston, um dos filhos do suspeito, admitiu que na família sabiam que tinha sido o pai a matar o casal e a sua própria mãe, dada como desaparecida pelas autoridades.

A investigação conjunta de Penny e da família Boston resultou na detenção de Silas Boston em 2016, dado como suspeito do assassinato de Chris e Peta.

A idade avançada e as doenças que sofriam fizeram com que morresse pouco tempo depois, não sem antes admitir ao filho que tinha sido o responsável por 33 mortes o que, a confirmar-se, fazem dele um dos assassinos mais mortíferos da história dos Estados Unidos da América.

Veja a história, contada por Penny Farmer à BBC.


Mais partilhadas da semana

Subir