Motores

Condições climatéricas condicionam andamento de Gil Antunes

Gil Antunes e Diogo Correia queriam um resultado mais expressivo do que aquele que acabaram por conseguir no Rali de Castelo Branco.

O piloto de Sintra impôs-se no Clio Trophy Ibéria, para o qual a prova beirã era o segundo ‘round’, mas não conseguiu a classificação que desejava ao nível do Campeonato de Portugal de Ralis 2 rodas motrizes, já que as condições climatéricas condicionaram o seu andamento.

Gil Antunes até ‘entrou’ bem no rali, intromentendo-se na luta pelos lugares do pódio das duas rodas motrizes, com um Renault Clio R3T que estava em corresponder em pleno. Mas na terceira especial, ainda molhada e com muitas zonas sujas, partiu-se uma jante que obrigou o piloto de Sintra e o seu navegador a tentar solucionar o problema.

O muito tempo perdido deixou Gil Antunes e Diogo Correia arredados da luta pelos R2, onde viriam a ser apenas sétimos e terceiros entre os RC3. “Não era o desfecho que pretendíamos. Infelizmente voltamos a não ter um rali ‘limpo, e com o sucedido logo na terceira especial nada mais havia a fazer do que levar o carro até ao fim e assegurar o máximo de pontos”, lamentou o piloto sintrense.

Mas Gil Antunes não perde as esperanças, até porque ainda há muita temporada pela frente e também uma ‘saltada’ à ilha da Madeira, para disputar a próxima prova do campeonato, entre 3 e 5 de agosto: “Continuamos com condições para lutar pela vitória no campeonato, faltam apenas mais 3 provas, temos plena noção que nas próximas teremos que fazer a diferença e na Madeira vamos tentar lutar pela vitória”.

 

Mais partilhadas da semana

Subir