Nas Notícias

Coletes amarelos ‘chegam’ a Portugal a 21 de dezembro

Está agendado para 21 de dezembro um dia de “Revolta Nacional”. O movimento surge inspirado nos coletes amarelos, que vergaram Macron, e agiganta-se nas redes sociais, onde foi criado o evento “Vamos Parar Portugal Como Forma de Protesto”. Mais de 10 mil pessoas confirmaram presença, sendo que dezenas de milhar manifestaram interesse. Uma nota: o grupo aconselha “civismo”.

França inspirou os portugueses. As megamanifestações nasceram da medida do presidente Emmanuel Macron, que pretendia aumentar os combustíveis por via fiscal, e avançaram para outras reivindicações. Vestiram coletes amarelos e saíram às ruas.

Paris foi a imagem de um país em Estado de Sítio, com manifestações violentas, centenas de feridos e ainda mais detenções.

De um lado, cidadãos indignados, do outro a polícia de choque. Pelo meio, carros incendiados, montras partidas, com pedras arremessadas por parte dos civis e resposta em força das autoridades.

A dimensão dos protestos foi gigantesca, ao ponto de Macron capitular, recuar na medida que deu origem ao desagrado francês e até aumentar o salário mínimo.

Pois bem, os coletes amarelos vão agora ser vestidos em Portugal.

Nasceu um movimento no Facebook sob o mote ‘Vamos Parar Portugal’. Trata-se de um evento, agendado para 21 de dezembro.

Na imagem, surgem manifestantes com coletes amarelos vestidos. O título é mais forte do que o mote: ‘Revolta Nacional’.

Seis pessoas criaram o evento que se realizará em Portugal. Não apenas na capital.

“Somos um dos países de recebem menos e pagam mais imposto. E ficamos caladinhos como sempre. Temos países a receber o dobro de nós e assim que existe algo que não agrade, reclamam, exigem, protestam até serem ouvidos. E nós, portugueses?”, pode ler-se, nesta convocatória à revolta nacional.

Da ‘ordem de trabalho’, constam algumas medidas: marchar contra o aumento dos combustíveis, as portagens, lutar contra impostos elevados, promover o aumento do salário, entre outras.

O evento agiganta-se no Facebook. No momento em que chegamos a esta linha de texto, há mais mil pessoas com presença confirmada. São 12 mil, até ao momento.

Uma nota: as imagens de violência de França não devem ser repetidas. Os autores do evento não querem violência.

“Apenas somos povo português que quer um país justo. Não queremos falta de respeito. Não vamos para lá com tintas, armas, fogo… Não queremos ser acusados de ser terroristas, nem somos vândalos”, alertam.

Outro número relevante: mais de 290 mil pessoas já foram convocadas, via-Facebook, para o protesto. É mais uma demonstração da força das redes sociais. E um sinal que deve servir de alerta para os partidos.

Mais partilhadas da semana

Subir