Fórmula 1

Carlos Sainz Jr dececionado mas conformado

O primeiro Grande Prémio de Carlos Sainz Jr ao serviço da McLaren não teve o melhor desfecho, com um abandono provocado por quebra da unidade de potência do MCL34 # 55.

A prova australiana já não tinha começado bem para o espanhol, que se tinha qualificado na 18ª volta depois de ter completado somente três voltas na Q1. O desaire naquele que foi o 82º Grande Prémio da sua carreira deixo Sainz Jr dececionado mas conformado.

“Foi um fim de semana para esquecer. É uma pena ter perdido a MGU-K, já que a corrida estava correr bem. Tinha deixado para trás as qualificações e estava otimista. Fiz tudo o que queria fazer. Fiz uma boa partida, ultrapassei quatro carros e estava na luta pelos pontos, lutando com aqueles que estavam atrás de mim. O carro parecia-me bem e tinha um bom andamento. Os pontos eram algo possível”, afirma o madrileno.

A conformação de Carlos Sainz Jr com a sua sorte não impede no entanto que esteja otimista para a próxima prova: “Este abandono é duro de digerir mas é a F1. A minha época começo com um fim de semana azarado mas espero que tenhamos resultados mais positivos a partir do Bahrain. Estou contente por deixar para trás esta prova e continuar a dar o meu melhor”.

Pelo lado da McLaren, Gil de Ferran, o diretor desportivo, retira algumas ‘lições’ do fim de semana australiano: “No geral admito que, apesar de haverem aspetos positivos a retirar, saímos do Grande Prémio da Austrália um bocado desiludidos. Carlos fez uma boa partida mas infelizmente teve de abandonar com um problema mecânico. Lado (Norris) fez um bom começo de corrida até ser retido no tráfego durante algumas voltas”.

“O lado positivo é que é que Lando foi capaz de mostrar uma boa performance no seu primeiro grande prémio. Como previa tornou-se óbvio que várias equipas estão numa dura batalha, incluindo nós próprios. Por isso, quaisquer melhorias no nosso andamento podem ter um impacto significativo na nossa classificação. Por isso vamos de cabeça erguida a partir do Bahrain”, acrescenta o ex-piloto brasileiro.

Mais partilhadas da semana

Subir