Benfica

Benfica diz que erros de arbitragem têm mantido FC Porto na luta pelo título

O Benfica voltou este domingo a criticar as arbitragens desta temporada, depois da vitória do FC Porto no Estádio Municipal de Braga. Num longo texto publicado no site oficial do clube, os encarnados defendem que no jogo deste sábado “voltou-se a ultrapassar tudo o que é tolerável” e acrescentam que “não há memória de uma época tão marcada por sucessivos erros”.

“A impunidade e a falta de decoro com que, jornada após jornada, o FC Porto continua a ser beneficiado pelas arbitragens tem de ter um limite! Ontem voltou-se a ultrapassar tudo o que é tolerável. É a verdade e a transparência das nossas competições que estão em causa, porque não há memória de uma época tão marcada por sucessivos erros, sempre – mas mesmo sempre! – em benefício da mesma equipa. É tempo de dizer basta. Ou será que ainda não chega?”, pode ler-se

Fique com a newsletter do Benfica na íntegra.

“A impunidade e a falta de decoro com que, jornada após jornada, o FC Porto continua a ser beneficiado pelas arbitragens tem de ter um limite! Ontem voltou-se a ultrapassar tudo o que é tolerável. É a verdade e a transparência das nossas competições que estão em causa, porque não há memória de uma época tão marcada por sucessivos erros, sempre – mas mesmo sempre! – em benefício da mesma equipa. É tempo de dizer basta. Ou será que ainda não chega?

Está a ser uma temporada negra para o futebol português, com sucessivos episódios a manchar as nossas competições. A célebre meia-final da Taça da Liga foi um desses casos, com decisões inacreditáveis que puseram a nu a falta de pudor que hoje existe.

Alguém tem dúvidas de qual seria a decisão da equipa de arbitragem caso o lance do primeiro penálti de que o FC Porto beneficiou em Braga tivesse ocorrido na sua própria grande área? Nunca – mas mesmo nunca! – seria penálti. É a história deste campeonato que o diz. E estão os factos para o provar.

Alguém tem dúvidas de qual seria a decisão se o lance que aconteceu dentro da grande área do FC Porto entre Corona e Wilson Eduardo tivesse ocorrido na outra grande área? Claro que o VAR não fingiria não ter visto. Claro que seria penálti!

Alguém percebe por que razão o treinador do Braga é expulso com aquela facilidade e porque continuamos a ver o outro treinador protestar sistematicamente sem que nada lhe aconteça?

Alguém tem dúvidas de qual seria a decisão do árbitro – e também do VAR – na falta clara de ontem na Luz sobre Samaris se fosse um jogador do FC Porto que estivesse em causa? Obviamente, penálti!

O VAR que ontem esteve no Estádio da Luz foi o mesmo que esteve no último jogo que o Benfica tinha feito em casa, contra o Belenenses. É preciso dizer mais?

Os factos provam que chegámos a um ponto em que já nem há a preocupação de disfarçar a diferença de critérios. Em que, jornada a jornada, se sucedem os erros que vão invariavelmente no sentido, repetimos, de beneficiar sempre a mesma equipa. Estamos perante um escândalo. Uma mentira! Um campeonato sujo que envergonha todos aqueles que não aceitam ser cúmplices desta fraude.

A lista dos erros mais flagrantes é enorme. Entre os casos mais graves, destacam-se: penálti sobre Rochinha no Bessa não assinalado; penálti sobre Nakajima no Dragão não assinalado; golo contra o Feirense em fora de jogo (bem anulado pelo árbitro e incrivelmente validado mais tarde pelo VAR); golo em fora de jogo com o Vitória de Guimarães; vermelho por mostrar a Felipe no Bonfim na fase inicial do jogo; penálti perdoado em Moreira de Cónegos por falta de Militão; penálti não assinalado, ontem, em Braga, por falta de Corona sobre Wilson Eduardo. Não estão aqui nem metade das decisões incompreensíveis que, neste campeonato, já valeram pontos ao FC Porto.

E são esses pontos conquistados que estão a permitir que o FC Porto se mantenha a lutar pelo título!

O erro é humano e admite-se até um certo ponto. A partir daí deixa de ser erro e passa a ser outra coisa.

Por que será que vemos um pequeno grupo em que surgem sempre os mesmos árbitros a tomar decisões diferentes sobre lances idênticos? E por que é que isso acontece sempre em benefício e prejuízo dos mesmos?

Talvez se encontre a justificação na impunidade com que se exibe e enaltece atos de invasão a centro de treinos de árbitros, mas também nas ameaças e na coação exercida sobre tudo e todos, com um óbvio objetivo: garantir uma inqualificável pressão e condicionamento sobre todos os agentes desportivos e equipas de arbitragem em particular!

Mais do que nunca, esta denúncia pública impõe-se. Porque já é impossível calar a revolta face a tudo o que se está a assistir semana após a semana. Existe o direito à indignação! Sentido de responsabilidade é isto: e apelar para que, de uma vez por todas, se cumpram as regras e se tratem todos por igual. Sem exceção.

Faltam 7 jornadas e, pelo menos a partir daqui, que apareçam a isenção, o rigor, o equilíbrio, a justiça e o respeito que têm faltado. Sobretudo o respeito pela verdade desportiva! Mais do que um título, o que está em causa é toda uma forma de estar na vida e no desporto.

PS: Perante a gravidade do que ontem se passou, excecionalmente temos uma News Benfica especial este domingo, para dar voz à revolta de todos os benfiquistas – e não apenas os benfiquistas – que não aceitam, de forma alguma, o regresso a um passado de triste memória para o futebol português”.

1517Shares

Mais partilhadas da semana

Subir