Nas Notícias

Bárbara Guimarães elogiou “harmonia” com Carrilho

Foram reveladas algumas declarações públicas de Bárbara Guimarães, levadas a tribunal no processo em que Manuel Maria Carrilho foi absolvido, a realçar o “clima de harmonia” em que o casal vivia. As alegações foram tidas em conta pela juíza Joana Ferrer.

De acordo com a Sábado, houve “cerca de 20 declarações públicas” em que Bárbara Guimarães contradisse as acusações que fez de violência doméstica.

Nessas declarações, Bárbara Guimarães descreveu “um quadro que está verdadeiramente nos antípodas das descrições de violência doméstica e que terão levado à abrupta ruptura da relação conjugal”, refere a sentença.

Uma “abrupta ruptura” que ocorreu em outubro de 2013: as afirmações da apresentadora datavam de “entre janeiro de 2011 e junho de 2013”, consta ainda no documento judicial.

A revista citou três das declarações que mais terão pesado na decisão da juíza Joana Ferrer, que absolveu Carrilho das acusações de violência doméstica (foi apenas condenado, a pena de multa, por um crime de difamação).

“Ao meu marido, que me tem aturado”, afirmou Bárbara Guimarães a 20 de abril de 2013, no jantar de aniversário.

No mês seguinte , ao participar no Curto Circuito, a apresentadora foi questionada sobre o que levaria para uma ilha paradisíaca.

“Levaria uma garrafa de uísque ou vodka ou coisa assim”, respondeu, ‘provando’ o argumento de alcoolismo apresentado pela defesa de Manuel Maria Carrilho.

A 19 de junho, como convidada do Boa Tarde, Bárbara Guimarães elogiou o então marido na ajuda durante a escrita do livro ‘Páginas do Páginas Soltas’.

Mais partilhadas da semana

Subir