Benfica

FPF comenta decisões polémicas vídeo-árbitro no Dragão e Luz

O Conselho de Arbitragem (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) comentou, esta sexta-feira, em comunicado, os vários lances polémicos que tiveram leitura por parte do vídeo-árbitro na 1.ª jornada do campeonato, salientando que “nenhum resultado foi influenciado por um erro claro”.

“O videoárbitro já esteve presente em dez jogos na época 2017/18 [incluindo a Supertaça]. Nenhum resultado foi influenciado por um erro claro da equipa de arbitragem. O único erro claro foi detetado pelo videoárbitro e pelo videoárbitro assistente e revertido pelo árbitro no relvado”, explica o CD no relatório.

FC Porto x Estoril – golo de Marcano

“O quarto golo do FC Porto neste jogo foi inicialmente anulado pelo árbitro no relvado, por indicação do árbitro assistente. Em causa estaria possível posição de fora-de-jogo do autor do golo, Marcano. Todos os lances de golo são revistos, de acordo com o protocolo do IFAB. Na revisão, o vídeo-árbitro verificou, sem margem de dúvida, que o jogador se encontrava em posição legal no momento do passe. Tratava-se de um erro claro, pelo que o árbitro reverteu a decisão anterior, atribuindo o golo a Marcano. Procedimento correto”, diz o CD da FPF sobre o golo que tinha sido anulado pela equipa de arbitragem mas, posteriormente, validado pelo vídeo-árbitro.

Benfica x Braga – lance Jardel na área minhota e golo anulado aos bracarenses

“O árbitro está perto do lance na área de penálti do Braga e entende não haver motivos para assinalar qualquer infração. Por se tratar de uma jogada de possível penálti, o videoárbitro verifica. Não existe evidência de que se trata de um erro claro do árbitro, antes uma questão de interpretação sobre o contacto entre os dois jogadores. Não existindo evidência de erro claro, prevalece a decisão do árbitro. Procedimento correto”, explica o CD sobre o lance de Jardel na área do Braga na reta final da primeira parte.

Quanto ao golo anulado ao Braga no segundo tempo, na explicação o CD diz que “depois de visionadas as imagens, não é claro que o jogador do Braga esteja em posição regular no momento do passe, pelo que não é dada indicação ao árbitro para reverter a decisão ou visionar junto ao relvado. O lance é de dúvida, prevalece a decisão tomada pela equipa de arbitragem. Procedimento correto”.

O jogo entre Benfica e Braga, tal como entre FC Porto e Estoril, fez correr muita tinta com críticas várias, como pode recordar aqui.

Nesta relatório, o Conselho de Arbitragem também comenta (validando) a decisão de atribuir golo a Rúben Fernandes, no jogo entre Portimonense e Boavista, tal como a expulsão de Vasco Fernandes no duelo entre V. Setúbal e Moreirense.

Receba esta e outras notícias virais no seu e-mail todos os dias!


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir
error: