Desporto

MP suspeita de que há toupeiras do FC Porto e do Sporting

O Ministério Público suspeita de que FC Porto e Sporting também possam ter ’toupeiras’ no sistema judicial e que estas possam estar a passar informações para o exterior, comprometendo investigações.

De acordo com o jornal i, “não são apenas as ’toupeiras’ ligadas ao clube da Luz que preocupam as altas instâncias da justiça: as alegadas fugas de informação estão relacionadas com a ‘clubite’ de ’toupeiras’ também associadas ao FC Porto e ao Sporting”.

O diário salienta que os magistrados do Ministério Público desconfiam de que há fugas de informação desde a estrutura judicial para o exterior.

Por isso, procuradores e juízes não confiam no sistema informático e estão a tentar esconder, tanto quanto possível, informação que esteja relacionada com águias, dragões e leões.

Estas desconfianças podem estar a dificultar as investigações no futebol.

Para evitar fugas de informação, o Correio da Manhã revelou, por exemplo, que o casos dos e-mails está a decorrer fora das plataformas informáticas.

A Procuradoria-Geral da República não se pronunciou sobre esta situação ainda.

O jornal i cita uma fonte oficial, mas não identificada, da Polícia Judiciária a revelar que as fugas de informação são “normais”.

“Isto é mais banal do que se pensa. É mais fácil um inspetor passar informações privilegiadas ao seu clube do que a troco de muito dinheiro. Não há explicação racional para o que é irracional. Não há hipótese de acabar com isto a não ser afastando as pessoas em causa”, revela em declarações ao i.

Da parte do Governo, a ministra da Justiça já disse que o sistema informático é “seguro”.

“O sistema Citius é absolutamente confiável e seguro”, assegurou a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem.

O tema das eventuais vulnerabilidades no sistema informático da justiça tem sido falado nas últimas semanas devido ao processo ‘E-toupeira’, onde funcionários judiciais são suspeitos de terem passado informação de processos para o exterior.

Paulo Gonçalves, assessor jurídico do Benfica, também está indiciado,na Operação E-Toupeira.

Mais partilhadas da semana

Subir