Nas Notícias

Entrada de animais em restaurantes mais perto de ser realidade

O Parlamento aprovou a discussão na especialidade das três propostas para permitir a entrada de animais em restaurantes. Os partidos estão de acordo em termos genéricos, mas querem discutir pormenores como… o tamanho dos cães.

A discussão na especialidade vai analisar as propostas apresentadas por PAN, Bloco de Esquerda e PEV. Pelas declarações que foram sendo proferidas ontem, o projeto dos ecologistas surge como o mais consensual.

Heloísa Apolónia lembrou que é preciso legislar que espécies de animais de companhia e características é que poderão entrar em restaurantes.

“Pode ser recusado o acesso a animais que, pelo comportamento ou porte, perturbem o normal funcionamento” do estabelecimento, sustentou a deputada do PEV.

André Silva, do PAN, lembrou que o Parlamento só agora vai discutir o que já é uma realidade em muitos países europeus.

“No nosso país, verifica-se uma ingerência do Estado”, condenou o deputado: “Deve deixar-se que o mercado opere livremente e que os proprietários tenham o poder de decidir quem entra ou não nos estabelecimentos”.

Também o Bloco de Esquerda apresentou uma iniciativa legislativa, baseada na colocação de dísticos nos restaurantes que aceitem a presença dos animais de companhia e a restrição no acesso de animais aos espaços onde a comida é confeccionada ou armazenada.

“Uma cidade justa é também uma cidade que trata bem os seus animais”, considerou a bloquista Maria Manuel Rola.

O PSD não apresentou qualquer projeto, mas manifestou-se “sensível ao tema”.

Para o deputado João Sá, importa garantir as condições de higiene e segurança, por parte dos restaurantes, e o controlo sanitário dos animais, por parte dos donos.

Também o CDS “está disponível para viabilizar estes diplomas”.

Nuno Magalhães defendeu a liberdade de escolha da iniciativa privada e dos cidadãos e deu a conhecer uma preferência dos centristas pelo projeto “bastante completo” do PEV.

É “mais um passo importante em matéria de animais”, acrescentou o PS, por intermédio de Hugo Pires.

O PCP concorda, mas Ana Virgínia Pereira lembrou que é preciso auscultar os trabalhadores do setor, as empresas de restauração e as associações de bem-estar animal.

Cães nos restaurantes: verdades e mitos


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

Selecione as newsletters

Mais partilhadas da semana

Subir