Nas Notícias

Cadela magra da GNR gera controvérsia nas redes sociais

Uma fotografia de uma cadela que serve a GNR deu origem a uma polémica, nas redes sociais, que obrigou aquela força de segurança a um esclarecimento.

A imagem de Fly, do Grupo de Intervenção Cinotécnico da GNR, com uma legenda polémica, aludindo à alegada magreza da cadela, deu origem a uma onda de críticas àquela força de segurança, de tal forma que surge agora um comunicado.

“Foi recentemente publicada e partilhada esta imagem nas redes sociais, na qual surge uma legenda com a qual a Guarda Nacional Republicana não se revê”, escreve a GNR, num post no Facebook.

Aquela autoridade explica que não houve nem há qualquer negligência no tratamento da cadela, desde que esta chegou ao Grupo de Intervenção Cinotécnico, com a missão de detetar de explosivos.

“A Fly chegou ao nosso Grupo de Intervenção Cinotécnico, em 2011, proveniente de uma doação de um particular. Nessa altura, a cadela foi submetida a um Programa de Ganho de Condição Corporal, desenhado e monitorizado pelos Médicos Veterinários da GNR, contudo o seu metabolismo não permitiu ganhar outra aparência”, garantem os militares.

“As aparências por vezes iludem! A Fly é uma cadela enérgica, brincalhona e que cumpre exemplarmente a sua missão na deteção de explosivos, o que muito orgulha a Guarda Nacional Republicana. Se dúvidas persistirem, convidamos os nossos seguidores a visitarem a Fly nas nossas instalações”.

A GNR escreve ainda que vai continuar a trabalhar com a cadela e a “exibi-la orgulhosamente”.

Mais partilhadas da semana

Subir