Ásia

Biotecnológica autorizada a ressuscitar os mortos

ressuscitar mortos

Será este o início do fim? Nos EUA e na Índia, uma biotecnológica foi autorizada a tentar trazer à vida 20 pacientes clinicamente mortos. Será possível ressuscitar o sistema nervoso central ou estaremos a assistir ao nascimento de um apocalipse zombie?

Agora num registo mais a sério: isto está mesmo a acontecer! A Bioquark, uma empresa de investigação biotecnológica, foi autorizada pelos EUA a tentar reanimar a parte superior da medula espinhal para ‘ressuscitar’ o coração ou os pulmões de 20 pacientes que só estão ‘vivos’ com a ajuda de máquinas.

“É o primeiro ensaio deste género e um grande passo para uma eventual reversão da morte ainda durante o nosso tempo de vida”, salientou Ira Pastor, o CEO da empresa norte-americana, em declarações ao The Telegraph.

Concedida a autorização, pelas autoridades de saúde dos EUA e da Índia, a Bioquark vai agora recrutar os 20 ‘voluntários’ (na verdade, terão de ser os familiares a autorizar, pois os ‘voluntários’ estão clinicamente mortos e sem qualquer atividade cerebral) para o Projeto ReAnima.

E porquê a autorização da Índia? Porque os ensaios vão ser realizados, ao longo dos próximos meses, no hospital Anupam, em Rudrapur.

A primeira fase será a prova de conceito: é possível reverter a morte cerebral através de uma combinação terapêutica que incluiu administração de medicamentos, estimulação de nervos e terapia a laser?

Na teoria, o melhor cenário vai permitir aos médicos constatarem uma evolução da pulsação cardíaca, da saturação de oxigénio do sangue, na pressão sanguínea e na respiração.

“Esperamos começar a ter resultados no final dos primeiros dois ou três meses”, acrescentou Ira Pastor.

71Shares

Mais partilhadas da semana

Subir