Crónicas

À porta

«A guerra é a província do medo»

Von Clausewitz

A China organizou o encontro de algumas economias emergentes, com a presença de vários líderes, e o que faz a Coreia do Norte anuncia um teste com a chamada Bomba H.

A cimeira organizada pela China foi suplantada em todos os noticiários pela Coreia do Norte, o que que irritou os líderes chineses.

Afinal ,estão os chineses a esforçar por se destacaram e os norte coreanos estragam os planos.

Os líderes chineses começam a dar sinais de impaciência para com a Coreia do Norte, mas recusam qualquer posição mais drástica em relação à liderança da Coreia do Norte.

A última coisa que a China quer ter à sua porta é uma situação semelhante à da Líbia, Iraque e Síria. Afinal por mais irritante que o líder norte coreano seja, os chineses já sabem com o que contar. Caso ele desaparece de cena que garantia existe de que o que vem a seguir é melhor.

Também a Rússia se recusa a ter nas suas fronteiras um elemento gerador de instabilidade. A realidade é que nesta situação China e Rússia parecem os adultos a tentar controlar as crianças mimadas que ameaçam estragar a festa. A capacidade dos Estados Unidos em garantir a estabilidade após soluções mais drásticas tem-se revelado desastroso, o que não aumenta o entusiasmo de russos e chineses por qualquer solução americana.

Síria, Líbia e Iraque são os grandes argumentos que China e Rússia tem, e nenhum deles quer algo semelhante à sua porta.


Vídeos em Destaque

Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir
error: