Motores

Tiago Monteiro frustrado com penalização mas admite que “os homens também erram”

Tiago Monteiro teve em Suzuka o seu melhor resultado global num fim de semana da Taça do Mundo de Carros de Turismo (WTCR). Pois se não venceu, subiu ao pódio na primeira corrida e foi competitivo nas outras duas.

É certo que a penalização no último confronto, que o atirou do terceiro para o 15º posto, foi o momento mais negativo desta sua passagem pela pista japonesa, ‘casa’ da Honda, mas o balanço geral foi ainda assim positivo.

2019 EVENT: WTCR Race of JapanTRACK: Suzuka Circuit TEAM: KCMG MotorsportCAR: Honda Civic TypeR FK8DRIVER: Tiago Monteiro

Tiago ajudou o seu colega de marca Esteban Guerrieri na disputa pelo título mundial, ao ceder-lhe a segunda posição na corrida 3, o que devolveu a liderança do campeonato ao argentino da ALL-INKL Munnich Motorsport, ainda que depois uma penalização tenha retirado ao piloto do Porto o prémio de consolação que seria uma nova subida ao pódio.

“Apesar do fim-de-semana não ter acabado como esperava, tenho de me focar no que correu bem e correu muita coisa bem”, avalia Tiago Monteiro, destacando: “Somámos muitos pontos, estivemos sempre entre os pilotos da frente, ajudámos a Honda a seguir o seu caminho rumo ao título e conseguimos ter o Honda Civic Type R TCR competitivo ao longo da jornada. Foi sem dúvida o fim-de-semana mais produtivo do ano”.

Na corrida 2, a primeira desta domingo, a sexta posição foi o resultado de uma prova muito consistente do piloto português, que ao longo de toda a prova batalhou pela quinta posição, defendida com ‘unhas e dentes’ por Thed Bjork. No último confronto Tiago mostrou que queria a vitória, mas Johan Kristoffersson forçou a passagem e a partir daí nada houve a fazer para impedir o triunfo do sueco.

“Fiz um bom arranque e passei para a frente. Mas depois fui empurrado e fui obrigado a ceder essa posição. Não me pareceu justa a manobra. Mantive o segundo posto até perto do final da prova. Nessa altura facilitei a ultrapassagem a um dos pilotos da Honda (Guerrieri) na luta pelo título num momento de interajuda no seio da estrutura”, explicou o piloto do Honda Civic # 18.

Tiago Monteiro acreditava no pódio, “e no fundo aquilo que parecia justo”. Mas o facto de não se ter apercebido da entrada do ‘safety-car’ em pista na última volta acabou por causar a penalização de 10 segundos que o atirou para o fundo da classificação.

“Quando ainda faltava uma volta entrei, mesmo que por escassos metros, na linha das boxes. Assim, que me apercebi do erro, tentei regressar, perdi uma posição, fiz uma ultrapassagem em situação de bandeiras amarelas e fui penalizado”, conta o piloto portuense.

Tiago admite “uma enorme frustração” com a decisão, e aponta: “Em 22 anos de carreira, nunca nada parecido me tinha acontecido. Mas é a velha máxima, que os homens também erram”.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir