Motores

Sexto lugar foi o resultado possível para Henrique Chaves em Silverstone

A segunda corrida do fim de semana do International GT Open em Silverstone não foi aquilo que Henrique Chaves desejava e esperava, pois o sexto posto final esteve muito aquém dos objetivos.

Mas o piloto português, que mais uma vez dividiu o McLaren 720S GT3 # 59 da Teo Martín Motorsport com o croata Martin Kodric, viu o seu companheiro de equipa envolver-se num acidente que o acabou atrasar.

Partindo da quarta posição, Henrique Chaves esperava poder lutar pela vitória devido ao ‘handicap’ de apenas cinco segundos nas paragem nas boxes para troca de pilotos. E na largada manteve o seu quarto posto, mas depois não conseguiu os que estavam à sua frente.

Após as paragens nas boxes Kodric encontrava-se na terceira posição e sem a possibilidade de se chegar aos dois da frente esperava poder terminar no último lugar do pódio. Mas acabou por ser abalroado por um adversário que o fez ‘cair’ para o sexto lugar final.

Face ao sucedido Henrique Chaves não escondeu a sua desilusão: “Não era o que desejávamos. Os Lamborghini estavam muito fortes, e era quase impossível lutarmos de igual para igual com eles. Poderíamos ter saído daqui com mais alguns pontos, mas um dos nossos adversários foi demasiado otimista e bateu-nos, o que nos fez perder muitos lugares”.

“Demos o máximo que tínhamos, mas os nossos adversários tinham sempre alguma margem para nos impedir de os bater. Foi pena o toque no final, que nos custou alguns lugares”, considerou o piloto de Torres, que deste segundo confronto encontra apenas consolo no facto de ter ‘limpado’ o ‘handicap’: “Não teremos handicap na próxima corrida o que nos dá boas hipóteses de vencer”.

Assim Henrique Chaves aguarda com expetativa pela jornada de Barcelona a disputar no Circuito da Catalunha a 21 e 22 de setembro. “Vamos lutar até ao fim e no final faremos contas”, remata o piloto português.

Mais partilhadas da semana

Subir