Nas Notícias

Remuneração média da função pública sobe 1,2 por cento em abril para 1482,5 euros

A remuneração base média dos funcionários públicos subiu 1,2 por cento em abril face ao mesmo período do ano passado, para 1.482,5 euros ilíquidos devido sobretudo ao aumento do salário mínimo no Estado e ao descongelamento das carreiras, segundo a DGAEP.

A síntese estatística do emprego público publicada pela Direção-Geral do Emprego Público (DGAEP) indica que em abril o valor da remuneração base média mensal dos trabalhadores das administrações públicas era de 1.482,5 euros ilíquidos (antes da dedução de quaisquer descontos), um aumento médio de 0,3 por cento face a janeiro e de 1,2 por cento em termos homólogos.

O aumento da remuneração média deve-se essencialmente à atualização do valor da remuneração mínima na administração pública, que passou de 580 euros para 635,07 euros em janeiro, bem como ao descongelamento das carreiras.

O impacto destas duas medidas “teve maior efeito na carreira de assistente operacional/operário/auxiliar, com variação positiva em relação a abril de 2018 de 5 por cento”, para 680 euros, acrescenta a DGAEP.

Por outro lado, a carreira de pessoal de investigação científica viu a sua remuneração média cair em 16,3 por cento para 2.764,3 euros brutos, “em resultado dos movimentos de entrada e saída de trabalhadores com diferentes níveis remuneratórios (entrada de novos trabalhadores em níveis remuneratórios na base da carreira)”.

Já o ganho médio mensal nas administrações públicas (que inclui subsídios, suplementos, prémios e horas extraordinárias) era em abril de 1.730,8 euros ilíquidos, um aumento de 0,1 por cento face a janeiro e de 1,5 por cento em termos homólogos, “pelos mesmos motivos referidos para a remuneração base média mensal”.

O maior aumento homólogo no ganho médio mensal em abril verificou-se nas Forças Armadas, com um crescimento de 5,4 por cento para 1.718,9 euros ilíquidos, seguido dos enfermeiros, com uma subida de 5,1 por cento para 1.663,9 euros.

A síntese estatística da DGAEP mostra ainda que os magistrados são quem tem a remuneração base média mais alta, de 4.860 euros ilíquidos, enquanto os assistentes operacionais/operários/auxiliares detêm o valor médio mais baixo, de 680 euros brutos.

Por sua vez, os diplomatas continuam a registar o ganho médio mais elevado na administração pública, com 9.480,1 euros, enquanto o assistentes operacionais/operários/auxiliares registam 840,2 euros.

Mais partilhadas da semana

Subir