Mundo

Pelo menos 27 soldados e combatentes aliados do regime sírio morreram nas últimas 48 horas

Pelo menos 27 soldados e combatentes aliados do regime sírio morreram nas últimas 48 horas devido a ataques lançados pelo grupo jihadista Estado Islâmico no centro da Síria, informou hoje o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Segundo aquela Organização Não Governamental (ONG), estes são os ataques mais mortíferos do Estado Islâmico desde o anúncio da erradicação do ‘califado’ do grupo jihadista sírio por uma força árabe-curda em 23 de março.

Os ataques aconteceram “no Leste da província de Homs, no deserto”, acrescentou o Observatório, referindo que morreram “27 soldados e combatentes pró-regime, entre os quais, quatro altos graduados sírios”.

O Estado Islâmico reivindicou os ataques através do seu órgão de propaganda Amaq, afirmando que os seus combatentes tinham montado uma “emboscada” na quinta-feira às forças do regime “que tentavam caçar os jihadistas”.

Os combates duraram até sexta-feira à noite.

De acordo com o Observatório, seis jihadistas foram mortos.

Apoiados por uma coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, as Forças Democráticas da Síria, “liderando a luta anti-Estado Islâmico”, anunciaram em 23 de março o fim do “califado” proclamado em 2014 pela organização jihadista nos territórios então conquistados à Síria e ao vizinho Iraque.

No entanto, grupos jihadistas permanecem espalhados no deserto da Síria e conseguem realizar ataques.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir