Local

A maior experiência de realidade virtual do mundo chega a Portugal

Na senda do sucesso na Austrália, Japão , EUA e Espanha, a Climbing Planet abre no dia 18 de dezembro, no Dolce Vita Tejo, o segundo centro Zero Latency na Europa. Recorre a tecnologia própria baseada em OSVR, poderosos computadores e servidores e armas simuladas obtidas através de impressão 3D. Podem participar neste jogo imersivo até seis pessoas  em simultâneo, sem os habituais constrangimentos de cabos e com liberdade total de movimentos.

Esqueça tudo o que conhece sobre a realidade virtual porque isto não será possível experimentar em casa. A Zero Latency abre as suas portas ao público no Dolce Vita Tejo na próxima segunda-feira, dia 18 de dezembro, para uma experiência nova e única após êxitos em Espanha, Japão, EUA e na Austrália.

Portugal torna-se no segundo país da Europa e quinto a nível mundial a receber a experiência Zero Latency que chega pela mão empresa espanhola Climbing Planet que detém a marca 7Fun especializada em centros de entretenimento e os direitos de abertura e exploração da Zero Latency em Portugal e Espanha.

“Estamos muito satisfeitos e entusiasmados em abrir a Zero Latency em Portugal e proporcionar esta experiência única aos portugueses. Com a experiência que proporcionamos, aliada à aposta do Dolce Vita Tejo na vertente do entretenimento, acreditamos que a Zero Latency irá converter-se rapidamente num caso de sucesso em Portugal.

À semelhança dos outros países, iremos iniciar com o jogo ‘Zombie survival’ e ao longo do tempo serão, depois, adicionados outros jogos, com diferentes características” explica Alberto Marcos, Business Development Manager – Europe.

Estima-se que o mercado da realidade virtual vá ter um forte crescimento nos próximos cinco anos.

A consultora Greenlight Insights  prevê que no final de 2017 todo o ecossistema VR atinja os 7,1 mil milhões de dólares. E as plataformas abertas e os centros de entretenimento e lazer terão também aqui um papel importante neste crescimento. Só nos EUA, em 2016, por exemplo, mais de 20 parques de atrações instalaram montanhas russas com realidade virtual como mostra o relatório ‘Virtual And Augmented Reality. Are You Sure It Isn’t Real?’ da consultora Citi GP (outubro de 2016).

Seguindo esta tendência, Portugal converte-se no segundo país europeu com um centro de entretenimento de RV, neste caso instalado no Dolce Vita Tejo.

A Zero Latency representa um passo em frente na realidade virtual no que diz respeito à tecnologia que está actualmente disponível no mercado doméstico. Não recorre a óculos que já tenham chegado aos consumidores e, por outro, utiliza tecnologia própria baseada na plataforma aberta de realidade virtual OSVR.

Zero Latency Lisboa é uma experiência de realidade virtual multijogador e simultânea. A ação decorre numa zona de jogo real de 200 metros quadrados, onde até seis jogadores podem mover-se com total liberdade e verem-se mutuamente.

E tal é possível graças ao equipamento especial e sensores localizados estrategicamente em redor da zona de jogo. As armas simuladas utilizadas no jogo – batizadas de Blackbird” – são feitas através de impressão 3D.

15Shares

Mais partilhadas da semana

Subir