Nas Notícias

Há razões para empresas “terem mais contratos sem termo e com melhores salários”, diz Costa

O secretário-geral do PS afirmou hoje que a economia portuguesa está a acelerar, contrariando a tendência internacional e até da Alemanha, num discurso em que pediu mais força para si e Mário Centeno para reformarem a Europa.

António Costa recorreu aos mais recentes indicadores do INE (Instituto Nacional Estatística), segundo os quais Portugal terá crescido 1,8 por cento no primeiro trimestre do ano, no jantar comício de Almeirim, distrito de Santarém, após discursos do ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e do cabeça de lista europeu do PS, Pedro Marques.

“O INE confirmou hoje aquilo que já pressentíamos [no Governo], mas que muitos tendiam a dizer que não era possível. É verdade que a economia mundial está em desaceleração, é verdade que a economia europeia está em desaceleração e até algumas grandes economias, como a da Alemanha, está em desaceleração. Mas a nossa economia, no primeiro trimestre deste ano, acelerou e cresceu mais do que estava a crescer”, declarou.

Segundo o líder socialista, este crescimento “acima da média europeia” está a ser “puxado pelo investimento das empresas, algo que só é possível porque as empresas confiam no futuro do país”.

“As empresas confiam que vale a pena investir, vale a pena contratar mais trabalhadores e que continua a haver razões para terem mais contratos sem termo, com melhores salários. É esse o caminho de progresso que queremos”, declarou, num discurso sem qualquer ataque a outras forças políticas.

Mais partilhadas da semana

Subir