Desporto

FPF abre processo ao Sporting após suspeitas de corrupção

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) abriu um processo ao Sporting, depois de conhecidas suspeitas de alegada prática de corrupção, em jogos do campeonato, na época passada.

Segundo avança o Correio da Manhã, que denunciou alegadas práticas de corrupção em Alvalade, o Conselho de Disciplina da FPF decidiu abrir um processo de inquérito ao clube leonino.

Em causa estão alegados aliciamento a jogadores de futebol, em partidas da primeira liga, durante a época passada. Também no andebol terão sido praticados os mesmos crimes.

O caso foi denunciado pelo Correio da Manhã, que teve acesso a conversas que sugerem aliciamento a adversários. A SIC também divulgou escutas que apontam no mesmo sentido.

Seguiram-se buscas em Alvalade e quatro detenções: André Geraldes, diretor do futebol, Paulo Silva, empresário que confessou a prática de crimes, Gonçalo Rodrigues e João Gonçalves, estes dois últimos funcionários do Sporting.

O Sporting desmente qualquer ilícito e revela que  “não se revê em atos que desvirtuem a verdade desportiva”. O emblema da capital mostrou total disponibilidade em colaborar com a investigação sobre viciação de resultados de andebol e futebol que visa elementos ligados ao clube.

“No que respeita às diligências levadas a cabo hoje pela Polícia Judiciária, nas instalações do Sporting CP, reafirmamos a nossa total disponibilidade em colaborar com a investigação para que se possa apurar toda a verdade. O Sporting pauta a sua atuação pelo respeito pela legalidade, transparência e lisura de todos os seus atos”, lê-se em comunicado da direção do Sporting e da administração da SAD.

Os dirigentes dizem que vão aguardar “serenamente o desenvolvimento da investigação, salientando, no entanto, que a presunção de inocência é um direito elementar que assiste a qualquer cidadão, sendo pedra basilar do Estado de Direito”.

“Queremos manifestar a nossa solidariedade aos colaboradores envolvidos e reiterar o nosso apoio às equipas de andebol e futebol que venceram os seus jogos com profissionalismo, atitude e compromisso”, acrescenta o Sporting.

A Polícia Judiciária (PJ) deteve hoje quatro pessoas, incluindo o diretor para o futebol do Sporting, André Geraldes, e efetuou buscas na SAD do Sporting, em Lisboa, por “suspeitas de corrupção ativa”, no âmbito de uma operação denominada ‘Cashball’.

Em comunicado, o Sporting também confirmou a realização de buscas em instalações do clube e indica que dois colaboradores seus foram constituídos arguidos.

A investigação da PJ levou à detenção do ‘team manager’ do clube, André Geraldes, e também de Paulo Silva, suposto intermediário em casos de alegada corrupção em jogos de andebol e de futebol, e de João Gonçalves e Gonçalo Rodrigues, funcionário do clube.

Segundo o Correio da Manhã, a investigação do Ministério Público incide sobre vários jogos de futebol, nomeadamente o da terceira jornada da I Liga desta época, entre o Vitória de Guimarães e o Sporting, que os ‘leões’ venceram por 5-0.

O CM cita conversações que alegadamente implicam o defesa João Aurélio, jogador do Vitória que terá sido aliciado para facilitar o triunfo do clube lisboeta.

Além deste, estarão também em causa os restantes cinco jogos do Sporting nas seis primeiras jornadas na presente época da I Liga, com Desportivo das Aves, Vitória de Setúbal, Estoril Praia, Feirense e Tondela.

Mais partilhadas da semana

Subir