Mundo

Desistência de Matt Hancock reduz para seis os candidatos à sucessão de Theresa May

A eleição para a sucessão de Theresa May à frente do partido Conservador ficou reduzida a seis candidatos devido à desistência hoje anunciada do ministro da Saúde, Matt Hancock.

Hancock, de 40 anos, era o mais jovem dos 10 candidatos iniciais e estava qualificado para continuar na eleição, apesar de ter angariado apenas 20 votos, mais três do que o mínimo necessário.

Na próxima volta, a realizar na terça-feira, qualificam-se apenas os candidatos com mais de 32 votos, correspondentes a 10 por cento dos 313 deputados conservadores habilitados a votar.

“Apresentei-me como o candidato do futuro, mas é cada vez mais claro que o partido, de forma compreensível, pretende um candidato adequado às circunstâncias únicas que existem agora”, afirmou, num depoimento publicado na rede social Twitter.

Na primeira volta da eleição interna do partido Conservador para substituir Theresa May na liderança e, consequentemente, na frente do governo, Boris Johnson foi o vencedor destacado, com 114 votos.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Jeremy Hunt, foi segundo, com 43 votos, e o ministro do Ambiente, Michael Gove, terceiro, com 37 votos.

Na corrida continuam ainda o ex-ministro para o Brexit, Dominic Raab, o ministro do Interior, Sajid Javid, e o ministro para o Desenvolvimento Internacional, Rory Stewart.

A antiga ministra dos assuntos parlamentares Andrea Leadsom, o deputado Mark Harper e a antiga ministra do Trabalho Esther McVey foram eliminados por não terem atingido o mínimo necessário.

Na próxima semana, realizam-se uma série de votações nas quais apenas votam os deputados conservadores com o objetivo de selecionar dois finalistas, que serão depois submetidos ao voto dos cerca de 160 mil militantes do partido.

Caso um dos finalistas não desista, como fez Andrea Leadsom em 2016, o vencedor deverá ser anunciado no final de julho, desencadeando nessa altura a demissão da primeira-ministra, Theresa May, que continua em funções até estar escolhido o sucessor.

Mais partilhadas da semana

Subir