Mundo

Bombas de drenagem falharam depois de retirada a última criança da gruta

Uma falha nas bombas de drenagem com membros da equipa no interior quase comprometeu o sucesso do resgate. Depois de retirada a última criança, ainda com mergulhadores na câmara 3, os níveis de água começaram a subir de forma ameaçadora.

A bem sucedida missão de salvar 12 crianças tailandesas e o seu treinador de futebol na gruta em Chiang Rai, na Tailândia, poderia ter terminado em tragédia: as bombas de águas que faziam a drenagem falharam quando alguns elementos da equipa de resgate ainda estavam no interior.

De acordo com o The Telegraph, que cita mergulhadores australianos envolvidos na operação, alguns membros da equipa de resgate ainda estavam a mais de um quilómetro da câmara 3 da rede subterrânea, quando ocorreu o incidente.

Os níveis de água começaram a subir de forma rápida, quando alguns sobreviventes estavam a ser retirados e, do lado de fora da gruta, já se celebrava o sucesso da missão.

Os 12 rapazes e o treinador, recorde-se, foram explorar a gruta depois de um jogo de futebol no dia 23 de junho.

Na altura, as inundações resultantes das monções bloquearam-lhes a saída e impediram que as equipas de resgate os encontrassem.

O acesso ao local onde ficaram encurralados só é possível via mergulho, através de túneis escuros e estreitos, cheios de água turva e correntes fortes.

O resgate foi preparado ao longo de mais de uma semana e executado em três dias.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir