Nas Notícias

António Costa promete erradicar pobreza e elevar o complemento solidário para idosos

O secretário-geral do PS afirmou hoje, na Guarda, que, para a próxima legislatura, tem a ambição de erradicar pobreza e de elevar o complemento solidário para idosos.

“A ambição que nós temos, na próxima legislatura, é avançarmos mais no objetivo de erradicar a pobreza. E se há pobreza que nós temos que erradicar é a pobreza que atinge os mais idosos, que são aqueles que estão mais frágeis, são aqueles que mais dependem dos outros”, disse hoje António Costa.

O secretário-geral do PS e atual primeiro-ministro falava no comício realizado hoje na Praça do Município, na cidade da Guarda.

“E, por isso, temos um objetivo muito preciso para a próxima legislatura. É elevar o complemento solidário para idosos até ao limiar da pobreza, para que (…) consigamos chegar ao fim dos próximos quatro anos e dizer ‘não há nenhum idoso que esteja em situação de pobreza no nosso país'”, prometeu.

Na atual legislatura, António Costa disse que “foi muito importante que a confiança tenha regressado à sociedade portuguesa”, para o que foi fundamental o Governo ter “estabilizado a perspetiva de rendimento de todos”.

Referiu depois que o PS cumpriu o compromisso de eliminar os cortes das pensões que tinham sido feitas e ainda ter conseguido, “em dois anos consecutivos, atualizações anuais do valor das pensões” e “dois aumentos extraordinários das pensões de mais baixo valor”.

No seu discurso, o secretário-geral do PS disse ainda que, na atual legislatura, o Governo deu “prioridade aos incentivos fiscais em IRC” às empresas que se instalem e criem postos de trabalho nas regiões do interior.

Na próxima legislatura, como está no programa de Governo do PS, o compromisso é “alargar ainda mais os incentivos fiscais para as empresas que se fixem no interior” e ali criem postos de trabalho.

Referiu ainda que o Governo que lidera avançou com a execução da obra de ligação da autoestrada A25 (Aveiro/Vilar Formoso) à fronteira, porque “melhorar as ligações transfronteiriças é aquilo que reforça o peso e a oportunidade que o interior constitui para ser atrativo para as empresas”.

“Porque quando criamos estas ligações transfronteiriças, aquilo que nós estamos a dizer é que quem se situa aqui está mais perto do mercado. Não é só do mercado nacional de 10 milhões de habitantes, é o mercado de toda a Península Ibérica de 60 milhões de habitantes e é para esse grande mercado que nós temos de trabalhar, investir e conquistar (…), a partir de todas estas regiões do interior”, justificou.

Por essa razão, apontou que os investimentos na ferrovia lançados nesta legislatura são para “assegurar melhores ligações com a Espanha e com a Europa”.

No seu discurso, proferido junto do emblemático edifício do Hotel de Turismo da Guarda, que vai ser requalificado no âmbito do programa Revive, António Costa, declarou que o turismo “é fundamental” para o desenvolvimento dos territórios do interior, pois permite valorizar os elementos de excelência existentes.

Ana Mendes Godinho, cabeça-de-lista do PS pelo círculo eleitoral da Guarda, também discursou, tendo afirmado que o Governo socialista conseguiu integrar o Hotel de Turismo no programa Revive “para voltar a ter vida em 2022”, e anunciou a criação de um centro nacional para o Turismo na cidade.

Já Fábio Pinto, líder da JS, diretor de campanha e candidato na lista da Guarda, pediu aos militantes do distrito que no dia 06 de outubro “confiem na lista do PS”.

324Shares

Mais partilhadas da semana

Subir