Nas Notícias

36 anos de prisão para Joon-Seok, o capitão do ‘Sewol’

capitao em cuecas Lee Joon-Seok, o capitão do ‘Sewol’, foi hoje condenado a 36 de prisão. Condenado por homicídio por negligência grave, o principal responsável pelo naufrágio de 16 de abril, que provocou 304 mortos (na maioria estudantes), escapou à pena de morte.

Terminou hoje o processo do ‘Sewol’, o ‘ferry’ que naufragou na Coreia do Sul a 16 de abril: Lee Joon-Seok, o capitão do navio e principal arguido do processo, evitou a pena de morte, mas foi condenado a 36 anos de prisão.

Juntamente com outros três membros da tripulação, Lee Joon-Seok estava acusado de homicídio por negligência grave (o equivalente ao homicídio em primeiro grau nos códigos penais ocidentais), abandono do navio e violação das leis de segurança.

O Ministério Público pediu a condenação à morte para o principal arguido, ao longo de um julgamento que durou cinco meses, mas o capitão escapou com ‘apenas’ 36 anos de prisão.

“Eu entrei em pânico, era incapaz de fazer o que quer que fosse”, admitiu Lee Joon-Seok, em tribunal: “Não tomei as medidas apropriadas, o que conduziu à perda de vidas preciosas”.

Noutro depoimento, o capitão alegou que instruiu um membro da tripulação para indicar aos passageiros que colocassem os coletes salva-vidas e saltassem para a água.

A ordem, acrescentou Joon-Seok, foi dada cerca de cinco minutos antes da chegada do primeiro navio de socorro, para o qual o próprio capitão subiu.

Foram 304 vidas que se perderam quando o ‘Sewol’ virou e naufragou, a 16 de abril. Poucos dias após a tragédia, as imagens de Lee Joon-Seok em cuecas a abandonar o ‘ferry’, após ter dado uma ordem para os passageiros recolherem às cabines, tornaram-se virais.

O naufrágio resultou de uma conjugação de fatores, indicados num relatório divulgado pela Procuradoria: a sobrecarga do navio, a incompetência da tripulação e a falta de equilíbrio provocada por obras de redimensionamento ilegais na estrutura.

Para além do capitão e de três oficiais, houve mais 11 membros da tripulação a responder em tribunal, por abandono do navio e violação das leis de segurança.

A France Press, que adiantou a condenação de Joon-Seok, não refere quais as sentenças sobre os restantes arguidos.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir