Sociedade

‘Call Girl’ é um dos filmes no currículo da ‘maquinista’ do comboio Alfa

mulher comboio alfa 400 Halima Abboud assumiu ser a mulher que, num vídeo de 2011 que agora se tornou viral, surge a conduzir um Alfa Pendular a a 220 quilómetros por hora. Segundo o Jornal de Notícias, a atriz participou no filme ‘Call Girl’, interpretando uma stripper.

Aos poucos, vão sendo revelados pormenores sobre a mulher que, num vídeo de 2011, surge a conduzir um comboio Alfa Pendular, alegadamente a 220 quilómetros por hora, e que levou a CP a pedir ajuda às autoridades para confirmar a veracidade do incidente.

Em causa está um vídeo publicado no Youtube em meados de 2011 e que anteontem foi partilhado na página do Facebook de Halima Abboud, uma brasileira que se identifica como engenheira, atriz e modelo.

Contactada pelo Jornal de Notícias, através da rede social, Halima Abboud terá confirmado ser a mulher que, alegadamente sem formação, conduziu um comboio da CP.

De acordo com o diário, a mulher participou como atriz num dos filmes nacionais de maior sucesso comercial: ‘Call Girl’, de 2007, realizado por António-Pedro de Vasconcelos. Na trama, Halima Abboud terá interpretado o papel de uma stripper.

Na conversa com o JN, a mulher terá também revelado que desfilou nua durante o Mundial de futebol no Brasil, com o corpo pintado com as cores da seleção organizadora.

O vídeo do Alfa tornou-se viral nas redes sociais e a própria Halima Abboud, assumindo ser ela nas imagens, confessou estar surpreendida com a repercussão do incidente.

“Estou a pilotar um comboio a 220 quilómetros por hora, em direção ao Porto”, diz Halima Abboud, no vídeo.

A CP só agora terá tomado conhecimento do caso e estará a investigar o episódio, que envolve uma pessoa que não é funcionária da empresa nem tem qualquer formação para dirigir um Alfa.

Segundo um comunicado enviado pela CP à agência Lusa, está em curso um processo de “confirmação da veracidade” do vídeo, que terá sido gravado com recurso a um telemóvel.

A CP quer também proceder à “identificação do comboio específico, data e viagem em que tal situação poderá, eventualmente, ter ocorrido”, adianta a Lusa, que cita a nota da empresa.

Entretanto, o caso já foi reportado às autoridades, “para que sejam conduzidas as necessárias averiguações”.

“Após as devidas averiguações, não deixará de retirar as devidas consequências dos factos apurados”, assegura a CP, que assume que o vídeo parece “apontar para a presença de um elemento estranho à empresa na cabine de condução”.

Mais partilhadas da semana

Subir