Animais

Vídeo: Guardas invadem terreno da família para matar veado de estimação

Uma família que adotara um veado viu o animal ser morto, em casa, por guardas florestais. Porquê? Por ser ilegal ter animais selvagens como animais de companhia.

O caso passou-se em Ulysses, no estado do Kansas, nos EUA.

Em meados de dezembro do ano passado, a família de Kim Mcgaughey, que vive numa quinta nos arredores da cidade, viu chegar uma fêmea de veado que tinha uma pata partida.

O animal, que optou por viver na companhia dos humanos e dos outros animais da quinta em vez de viver no mato, foi acolhido, tratado e até batizado: Faline.

Faline não se importava com os humanos e até estava autorizada a entrar em casa e dormir na cama de Kim Mcgaughey.

Mas, no Kansas, a lei proíbe que se tenha um animal selvagem como animal de companhia.

E como é que as autoridades resolveram o problema? A tiro, claro.

De acordo com a NBC Los Angeles, Faline esteve alguns dias desaparecida, o que levou a mulher a perguntar, através do Facebook, se alguém tinha visto o veado.

O departamento de vida selvagem do Kansas não viu, mas foi a casa de Kim Mcgaughey para a multar por “posse ilegal de vida selvagem”.

O pior aconteceu minutos mais tarde, quando se ouviram tiros de caçadeira: eram os guardas florestais a abater Faline, a ‘causa’ da tal multa.

Mark Rankin, subdiretor do departamento, veio a público garantir que “os guardas realmente amam a natureza e não seriam capazes de tal ato”, mas Kim Mcgaughey tem ‘provas’ do contrário.

“Um tiro na cabeça teria sido suficiente, mas ainda a alvejaram quatro vezes na pata e quatro nas costas. Trataram-na como um alvo para prática de tiro”, afirmou.

O filho de Mcgaughey, com 8 anos, ficou em estado de choque quando viu Faline morta.

De acordo com o The Independent, os guardas podem ser processados por negligência: como Kim Mcgaughey fora multada pela posse “ilegal” do veado tinha ganho 30 dias para contestar a multa e 10 para requerer uma licença.

O video que se segue contém imagens que podem perturbar os espectadores.


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir