Motores

Grande recuperação de Elisabete Jacinto

Apesar do mau começo, Elisabete Jacinto conseguiu encetar uma recuperação na classificação no decorrer da segunda etapa do Marrocos Desert Challenge.

A piloto do MAN TGS da Bio-Ritmo logrou subir 22 posições na tabela geral depois do revés do primeiro dia, que a deixou nos últimos lugares da categoria T4. E numa tirada com 470 quilómetros cronometrados teve consistência e fiabilidade para obter o 14º tempo entre 90 automóveis, buggys e camiões.

Fotos: AIFA

No percurso que conduziu os concorrentes até Touzounine, Elisabete executou a etapa de forma exemplar e sem falhas, apesar de ter precisado de realizar várias ultrapassagens, e com a ajuda do navegador, José Marques, e do mecânico, Marco Cochinho, conseguiu ascender agora ao sétimo lugar da classificação dos camiões.

Após o final da etapa a piloto do Montijo estava naturalmente satisfeita: “Hoje podemos dizer com toda a certeza que foi o dia em que batemos o nosso recorde de ultrapassagens. Foi um trabalho difícil, porque apanhámos muito pó, mas conseguimos fazer uma etapa bastante boa e sem problemas”.

“A especial era deveras complicada. A dureza do traçado e a extensão do setor seletivo complicaram-nos muito a vida. Passámos sete horas a conduzir o que é verdadeiramente extenuante. Apesar dos obstáculos, não tivemos dificuldades na navegação e viemos sempre no caminho certo com um bom ritmo. Fizemos um bom trabalho e estamos contentes com a nossa classificação”, concluiu Elisabete Jacinto.

A terceira etapa do Marrocos Desert Challenge vai percorrer uma das lendárias pistas do rali Dakar atravessando a maior zona militar do sul de Marrocos. A especial, que se inicia em Touzounine, terá 335 quilómetros cumpridos ao cronómetro que serão percorridos por entre fantásticas paisagens desérticas.


Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir
error: