Motociclismo

“Um dia duro” para Miguel Oliveira

Miguel Oliveira voltou a ter uma atuação notável durante a qualificação do Grande Prémio das Américas de MotoGP, mas o resultado, 18º na grelha de partida, acabou por ficar aquém do que esperava.

O piloto português continuou a aprendizagem da KTM RC16 # 88 no traçado de Austin, com a dificuldade acrescida de uma trovoada ter feito cancelar o terceiro treino livre, que poderia ter utilizado para aprender mais sobre a sua máquina e o acerto da mesma para as características da pista texana.

Ainda assim Miguel falhou por seis décimas a entrada na segunda qualificação para aquela que será a sua terceira corrida na categoria ‘rainha’ do motociclismo mundial. Logrou no entanto ser o segundo melhor representante da KTM, atrás de Pol Espargaro, que cometeu o feito de qualificar uma RC16 na quinta posição para a grelha de partida para a prova deste domingo.

“Foi um dia duro. Começamos o quarto tempo com condições mistas, por isso tivemos sorte do final termos tudo uma sessão seca na qualificação. Foi difícil com o vento e a pista não secando totalmente”, conta o piloto de Almada.

Miguel Oliveira considera no entanto que apesar de nem tudo ter corrido como desejava o trabalho foi produtivo na qualificação: “Pudemos confirmar diferentes coisas que testamos na moto para sermos capazes de começar a corrida com um andamento forte Pelo menos na posição de hoje estivemos muito melhor do que ontem”.

“Estamos imediatamente abaixo do nosso objetivo, mas temos de manter a calma, já que temos uma corrida muito longa pela frente, fisicamente exigente, por isso vamos tentar fazer o melhor”, remata o piloto português da Red Bull KTM Tech3.

14Shares

Mais partilhadas da semana

Subir