Nas Redes

Teresa Guilherme “desvaloriza a violência”, acusa Rita Ferro Rodrigues

rita ferro rodrigues capazes

As férias acabaram e Rita Ferro Rodrigues voltou… ao ataque. No artigo para a plataforma Capazes, a apresentadora da SIC atacou uma colega de profissão, depois de um caso polémico no programa ‘Love on Top’. Teresa Guilherme desvaloriza o quadro de evidente violência”, acusou.

Na plataforma, da qual é uma das fundadoras, Rita Ferro Rodrigues aludiu à “pérola” que ocorreu no reality show da TVI, o ‘Love on Top’, para deixar fortes críticas a Teresa Guilherme: “Uma concorrente sofre de violência emocional e maus tratos perpetrados por um homem (?) perante todo um país. A mãe tenta tirá-la desta exposição degradante enquanto a apresentadora do programa desencoraja a mãe e, em directo, desvaloriza o quadro de evidente violência, classificando-o perante milhares de telespectadores como sendo uma ‘situação normal’”.

A cronista do Capazes considera que a “grande audiência” de um programa não pode ser argumento a favor da violência contra mulheres, “uma situação terrivelmente normal no nosso país”.

Mas também houve críticas para a estação que Rita Ferro Rodrigues representa. Afinal, foi na SIC que uma taróloga aconselhou uma alegada vítima de violência doméstica a dar “mimo” ao suposto agressor, o próprio marido.

“Durante a nossa ausência deu-se o ‘Caso Taróloga’ muito debatido e viralizado, graças ao empenho de um grupo de Capazes que em Lisboa, que mostrava de forma combativa indignação pela forma irresponsável e tão revoltante como uma denúncia de violência doméstica continuada foi tratada num programa de televisão em directo”, salientou a apresentadora.

Rita Ferro Rodrigues, que esteve de férias e “desligada do mundo”, lamentou que “a violência exercida sobre as mulheres” continue a ser “permanentemente desvalorizada, tratada com ignorância e preconceito machista por parte dos media em geral”.

“É preciso por isso, reflectir urgente e profundamente sobre a forma como se comunica a violência de género (e já agora muitas outras desigualdades) nos media”, concluiu.

1Shares

Em destaque

Subir