Economia

PSI20 cede 1,23% na maior queda desde maio

A bolsa de Lisboa encerrou hoje com uma descida de 1,23 por cento no índice PSI20, que ficou em 5.130,35 pontos, a maior queda desde 13 de maio passado.

Das 18 cotadas que integram o PSI20, 16 desceram, a Ibersol subiu (0,75 por cento para 8,10 euros) e a EDP Renováveis ficou inalterada (9,20 euros). A Altri liderou as descidas ao cair 3,02 por cento para 6,26 euros.

Os CTT perderam 2,96 por cento para 2,16 euros, a Sonae Capital recuou também 2,96 por cento para 0,75 euros e a Mota-Engil desceu 2,82 por cento para 1,86 euros.

A Pharol baixou 2,77 por cento para 0,15 euros, o BCP cedeu 2,69 por cento para 0,26 euros e a Sonae SGPS perdeu 2,21 por cento para 0,88 euros.

Ainda nas descidas, a Semapa caiu 1,93 por cento para 12,20 euros, a Navigator 1,81 por cento para 3,26 euros e a Jerónimo Martins 1 por cento para 14,39 euros.

Com desvalorizações inferiores a 1 por cento ficaram a Corticeira Amorim (10,08 euros), a Galp (13,15 euros), a NOS (5,74 euros), a Ramada Investimentos (7,54 euros), a EDP (3,44 euros) e a REN (2,48 euros).

No resto da Europa, o dia foi igualmente negativo, mas as descidas foram mais ligeiras. Frankfurt perdeu 0,60 por cento, Madrid 0,57 por cento, Londres cedeu 0,31 por cento e Paris 0,15 por cento.

Segundo analistas, os mercados foram penalizados pela tensão geopolítica, depois de dois petroleiros terem sido atacados na quinta-feira, no mar de Omã, ao largo do Irão, e também pela falta de avanços na disputa comercial entre Estados Unidos e China.

Mais partilhadas da semana

Subir