Desporto

Presidente do Comité Olímpico Internacional destaca papel de Cabo Verde

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, destacou hoje, na cidade da Praia, o papel de Cabo Verde para os valores olímpicos e o sucesso do país na organização dos primeiros Jogos Africanos de praia.

“Felicito-vos pelo grande sucesso na realização, recentemente, sob a liderança da presidente do Comité Olímpico, dos primeiros Jogos Africanos de praia, que decorreram de forma extraordinária”, destacou o presidente do COI, que chegou hoje a Cabo Verde para uma visita de 24 horas, enquadrada num périplo que efetua por países africanos.

Os Jogos Africanos de praia, considerado o maior evento desportivo alguma vez realizado em Cabo Verde, aconteceram no mês de junho, na ilha do Sal, com a participação de cerca de 800 atletas de todo o continente.

Thomas Bach, que visitou a sede do Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), sublinhou ainda o facto de Cabo Verde ser um pequeno país, mas com um “coração enorme para o desporto e para os valores olímpicos” e sublinhou o contributo que o país tem dado para o movimento olímpico internacional.

“Com ações e projetos que estão totalmente em linha com a agenda olímpica”, mostrou o responsável pela maior organização desportiva do mundo, elogiando o facto de o país colocar os atletas “no centro” do seus esforços e de empregar da melhor forma os valores disponibilizados.

Os atletas estiveram representados na cerimónia pela presidente da Comissão, a antiga ginasta e atleta olímpica Wânia Monteiro.

Thomas Bach destacou igualmente o facto de a presidente do Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), Filomena Fortes, ter tomado posse há quatro meses como membro individual e permanente do Comité Olímpico Internacional.

O presidente do COI entregou ainda dois “presentes especiais” à presidente do COC, sendo um o certificado de reconhecimento pela adesão do país ao COI, em 1993, e um troféu pelo “valor, respeito, interesse, excelência, gratidão” pelo trabalho que tem feito.

Por sua vez, Filomena Fortes disse que o responsável máximo do COI chega “numa boa hora” a Cabo Verde, país que está em festa pelo parecer favorável da UNESCO para a inscrição do género musical morna na lista de Património Imaterial da Humanidade.

“Apesar de sermos uma equipa bastante pequena, mas é de coração e com todo o empenho que queremos e fazemos que Cabo Verde possa respirar o olimpismo”, disse Filomena Fortes.

Thomas Bach chega a Cabo Verde com uma grande delegação, que integra, entre outros, o presidente da Associação dos Comités Olímpicos Africanos (ACNOA), Mustapha Berraf, e responsáveis pela administração do COI, que pretendem se inteirar do trabalho que o Comité Olímpico vem desenvolvendo no país.

Até terça-feira, vai visitar as mais altas individualistas do Estado, entre elas o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e o ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, e terá contactos com atletas, dirigentes e federações.

Na sua página pessoal do Facebook, o ministro do Desporto de Cabo Verde considerou que a visita do presidente do COI é um momento de “confiança” para o país, que já com várias passagens pelos Jogos Olímpicos.

“No nosso país, todo o programa desportivo do Ministério do Desporto e dos seus parceiros, Comités Olímpico e Paralímpico, Federações Desportivas e Individualidades, está direcionado para elevar a participação de Cabo Verde nos programas olímpicos. Por isso, esta visita de trabalho do Sr. Thomas Bach representa muito para Cabo Verde e para o desporto nacional”, salientou Elísio Freire.

O Comité Olímpico Cabo-verdiano foi criado em 1989 e esta é a segunda vez que um líder do COI visita o país, depois de Juan Antonio Samaranch, em 1994.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir