Sociedade

Fontinha: Escola vedada aos ativistas do Es.Col.A em dia de assembleia

escola_devolutaO coletivo Es.Col.A viu a escola da Fontinha vedada, no dia em que os ativistas previam realizar uma assembleia geral, naquele estabelecimento de ensino situado no Porto. Uma nova reocupação da escola da Fontinha levou a Polícia Municipal e funcionários da Câmara Municipal do Porto a regressar ao local, onde decorrem trabalhos de limpeza.

O coletivo Es.Col.A previa realizar na escola, hoje, uma assembleia, que teria como finalidade decidir os passos seguintes do projeto social que estava a ser levado a cabo naquelas instalações, antes da ordem de despejo da Câmara Municipal do Porto.

Segundo fonte policial, ontem, os ativistas voltaram a reocupar o local, até cerca das 23h00, mas deixaram o espaço sem qualquer tipo de desacato. Hoje, previam voltar, para discutir os próximos capítulos deste projeto ‘desalojado’. A escola da Fontinha está, no entanto, entaipada.

Recorde-se que o coletivo Es.Col.A foi despejado da escola da Fontinha. A autorização para ocupar aquele espaço terminara em março e, não obstante o trabalho realizado em prol da comunidade local, a Câmara Municipal do Porto não renovou do acordo, o que levou a PSP a cumprir a ordem de despejo.

O Es.Col.A ocupava o espaço que não lhe pertencia, no âmbito de um projeto de reabilitação do edifício e de dinamização sociocultural do bairro. Falhado o acordo com a Câmara do Porto para a continuidade da iniciativa, as autoridades procederam a um despejo.

A Câmara do Porto “questiona se o movimento estará realmente interessado em promover qualquer atividade comunitária, ou apenas em provocar distúrbios e desafiar as instituições”. A autarquia acredita nesta segunda hipótese, em virtude do “vídeo ameaçador” que estava a ser divulgado na Internet.

Através do Gabinete de Comunicação, o município acusa o grupo de ocupar o “de forma abusiva e selvagem”, o que levou a Câmara a reagir. Mais tarde, após “conversações mantidas com o movimento”, o executivo decidiu permitir a permanência do Es.col.A, no local, “até dezembro” de 2011.

Mais partilhadas da semana

Subir