Desporto

Costa e Mamona na final do triplo com sensações diferentes

As portuguesas Susana Costa, com melhor marca pessoal em pista coberta, e Patrícia Mamona, detentora do título, passaram hoje à final do triplo salto dos Campeonatos Europeus de atletismo em pista coberta, que decorrem Glasgow, Escócia.

Susana Costa, da Academia Fernanda Ribeiro, surgiu muito forte e arrancou o concurso com 14,28 metros – acima da marca de qualificação direta, fixada em 14,20 -, parando aí o seu esforço, para iniciar a recuperação para a final de domingo.

“Não esperava a qualificação logo no primeiro salto, mas sei que estou bem. Esta é uma marca que eu já esperava há algum tempo, mas estava com algumas dificuldades técnicas no princípio da época. Com tempo, fui-me sentindo bem e melhorando”, afirmou a atleta, que conseguiu a segunda marca da sessão.

Como ela, conseguiram o apuramento direto a ucraniana Olha Saladukha (14,40) e a grega Paraskehvi Papahristou (14,28), medalha de bronze nos Europeus de há dois anos.

Com espera mais prolongada ficou Patrícia Mamona, campeã em título, que assegurou o apuramento com 14,11 metros no último salto – que lhe deu o quinto lugar da qualificação -, depois de ter feito um nulo e ter saltado 13,86, que já a deixaria apurada, mas na última posição.

“Primeiro objetivo conseguido, foi no último salto, mas eu já me sentia bem no início da competição. O nulo foi por muito pouco e acusei um pouco a pressão. Tentei marcar, foi o que fiz no segundo, mas não estava segura, e no último foi mesmo seguir mais rápido, apesar de ter medo de fazer nulo e mal toquei na tábua”, referiu a atleta.

Na final, marcada para domingo, o os seis saltos a que cada uma das oito finalistas tem direito, alarga a margem de erro. “Para mim é a parte mais fixe, mais engraçada, pois todas temos esses saltos e é para arriscar, que aí ninguém tem medo de fazer nulos”, concluiu a atleta.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir