Economia

Conselho de Finanças Públicas ‘aprova’ défice de 2,1 por cento

O Conselho de Finanças Públicas considera que o défice no primeiro trimestre do ano, de 2,1 por cento, é uma “indicação positiva” sobre a capacidade do Governo em cumprir as metas orçamentais.

A entidade liderada por Teodora Cardoso destacou o aumento da receita, obtido através de impostos indiretos e contribuições sociais, mas alertou que a despesa também subiu (em 66 milhões), mesmo sem incluir os custos da recapitalização da Caixa Geral de Depósitos.

De acordo com as contas do Conselho de Finanças Públicas, Portugal registou um défice de 966 milhões de euros, o equivalente a 2,1 por cento do produto interno bruto, no primeiro trimestre do ano.

É uma “indicação positiva”, segundo o organismo, num ano em que o Governo traçou como meta reduzir o défice para 1,6 por cento do PIB.

Mais partilhadas da semana

Subir