Nas Notícias

Confirmada maioria absoluta para o partido de Zelensky nas legislativas ucranianas

O partido anticorrupção do novo Presidente da Ucrânia garantiu uma confortável maioria nas eleições para o parlamento nacional quando estão contabilizados 98 por cento dos boletins de voto, permitindo-lhe ampla margem de manobra para tentar impor as prometidas reformas.

A comissão eleitoral nacional informou hoje que o partido Servidor do Povo (Sluha Narodum, SN) do Presidente Volodymyr Zelensky garantiu 43 por cento dos votos para os 225 lugares no Verkhovna Rada (o parlamento unicameral) que são eleitos por escrutínio proporcional, num total de 450 deputados. Os candidatos do partido também lideravam a votação para os 176 dos 199 lugares escolhidos nas diversas comunidades eleitorais.

A comissão eleitoral disse que o partido pró-russo liderado por Viktor Medvedchuk, um aliado próximo do Presidente russo Vladimir Putin, garantiu a segunda posição a nível nacional com 13 por cento dos votos, e elegeu 19 lugares individuais.

Zelensky, que tomou posse em maio, prometeu combater a enraizada corrupção no país.

Enfrenta ainda o desfio de tentar terminar com a guerra que se prolonga há cinco anos no leste da Ucrânia entre o exército e os separatistas pró-russos, que provocou mais de 13.000 mortos e implicou uma séria quebra no nível de vida da população, num país já considerado dos mais pobres da Europa.

O líder do SN, Dmytro Razumkov, já referiu que as principais medidas a aprovar pelo novo Verkhovna Rada incluem o fim da imunidade dos deputados suspeitos de corrupção, o estabelecimento de procedimentos para a destituição presidencial e a criação de agências anticorrupção independentes do Presidente e do parlamento.

Zelensky, um antigo comediante e empresário de espetáculos, sem experiência política mas com uma forte agenda anticorrupção, derrotou por larga margem o ex-Presidente Petro Poroshenko – no poder entre 2014 e 2019 – ao garantir 73 por cento de votos na segunda volta das presidenciais em abril.

A sua vitória e o resultado das eleições legislativas refletem a frustração da Ucrânia com os círculos políticos do poder, e quando o país mantém uma guerra prolongada, regista desordem social, perdeu a Crimeia e prossegue o declínio económico.

De acordo com o analista Volodymyr Fesenko, citado pela agência noticiosa AP, o grande desafio de Zelensky será encontrar o equilíbrio possível entre um novo impulso para as reformas económicas liberais e a resolução dos problemas sociais e da pobreza.

Mais partilhadas da semana

Subir