Nas Redes

Cadela ‘refugia-se’ no comboio para o Porto e tem final feliz

Os passageiros de um comboio com destino ao Porto foram surpreendidos pela presença de uma cadela numa das composições. Intrigados com a situação, alguns passageiros acabaram por chamar o revisor. Um grupo de utentes dos comboios pretendia que o animal fosse colocado fora do transporte, enquanto outro grupo apelava ao revisor para deixar a cadela, assegurando que tentaria encontrar uma solução. No final, a cadela, que tinha dono, acabou por regressar a casa.

Esta é daquelas histórias que acabou por ter um final feliz para o dono do animal e para o próprio animal e tudo graças à insistência de alguns passageiros que fizeram questão de que a cadela permanecesse no comboio.

O animal estava perdido e entrou numa das composições que viajava para o Porto.

Aparentemente assustada, a cadela ‘refugiou-se’ num dos bancos do comboio para espanto dos passageiros.

E se alguns pretendiam que a cadela fosse deixada fora do comboio, sob a desculpa de que esta acabaria por regressar a casa, se a tivesse, outros não concordavam e pretendiam que o revisor a mantivesse no transporte público.

Assim foi feito e alguns passageiros acabaram por tomar conta do animal até à estação de General Torres, em Vila Nova de Gaia, onde a cadela saiu na companhia de duas passageiras que assumiram a responsabilidade de ‘resolver’ esta situação.

Depois de comprarem uma trela, levaram a cadela a um veterinário que conseguiu identificar o animal – de seu nome Nina – por causa do chip.

Informado, o dono da cadela deslocou-se ao veterinário e levou a cadela novamente para casa, de onde esta tinha saído, quando o dono se deslocava para o trabalho.

“Fizemos pela Nina o que tinha que ser feito”, explica Xana Sousa, uma das ‘salvadoras’ do animal no comboio, deixando um agradecimento a todos que se preocuparam com a Nina.

“Não fique indiferente, nunca, a estes seres maravilhosos onde tudo neles é amor, este é o verdadeiro pilar da história da Nina, uma história de afecto entre duas miúdas que se cruzaram no comboio, deram uma à outra o melhor de si e ficaram amigas para sempre”.

Veja imagens da cadela.

Mais partilhadas da semana

Subir