Nas Notícias

“Avaliações não estão cobertas por serviços mínimos”, garante Mário Nogueira

O líder da Federação Nacional de Professores (Fenprof) recusou qualquer acordo para serviços mínimos durante a greve às avaliações, salientando que essa hipótese não está prevista legalmente.

Em declarações à Renascença, o sindicalista deixou a garantia: não vai haver serviços mínimos se os professores, tal como está previsto (a partir de 2 de julho), fizerem greve às avaliações.

Uma garantia que surge na véspera do Ministério da Educação reunir com os sindicatos para chegar a um acordo que viabilizasse os serviços mínimos durante a greve.

“Não vai haver acordo nenhum para que sejam decretados serviços mínimos a partir de julho, porque esse serviço não está abrangido pelos serviços mínimos”, reiterou Mário Nogueira.

A reunião desta terça-feira à tarde é, segundo o líder da Fenprof, apenas “para preencher calendário”.

2Shares

Mais partilhadas da semana

Subir