Banca

Ações do BPI aceleram e atingem 1,45 euros que CaixaBank oferece

As ações do BPI fecharam hoje a subir 22,67 por cento para 1,45 euros, o mesmo valor que o CaixaBank oferece para retirar a instituição da bolsa, agora que já detém mais de 92 por cento do seu capital.

Hoje, mudaram de mãos quase 13 milhões de ações (12,8 milhões), mais do que o total de títulos do banco transacionados desde o início deste ano (cerca de 12,2 milhões).

No domingo, o CaixaBank revelou que vai requerer a retirada do banco BPI de bolsa, depois de ter acordado comprar ao grupo Allianz mais 8,425 por cento do capital social, ficando assim com 92,935 por cento do capital da instituição.

Em comunicado enviado ao regulador do mercado acionista, o grupo espanhol informou que “o preço total da aquisição é 177.979.336,50 euros, o que corresponde a 1,45 euros por ação do banco”.

O grupo acrescenta que “é intenção do CaixaBank requerer, nas próximas semanas, ao presidente da mesa da assembleia-geral do Banco BPI, uma reunião para aprovar a perda de qualidade de sociedade aberta do Banco BPI”.

Caso a retirada de bolsa do BPI seja aprovada pela assembleia-geral e pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), em cumprimento das regras do mercado, o CaixaBank propõe-se adquirir as restantes ações por si não detidas, oferecendo os mesmos 1,45 euros por ação.

O preço oferecido, referiu o grupo espanhol no comunicado enviado à CMVM, “representa um prémio de 22,67 por cento relativamente à última cotação de fecho do banco BPI e um prémio de 22,16 por cento relativamente ao preço médio ponderado dos últimos seis meses”.

A somar aos quase 178 milhões de euros para a compra das ações detidas pela Allianz, o CaixaBank prevê, assim, desembolsar mais cerca de 149,25 milhões de euros para passar a deter 100 por cento das ações do BPI.

O CaixaBank e a Allianz acordaram também propor aos órgãos sociais do banco BPI e da Allianz Portugal a reorganização da aliança de seguros em Portugal.

O banco BPI continuará a deter uma participação de 35 por cento na Allianz Portugal, assegurou ainda o grupo espanhol no comunicado.

Em 10 de fevereiro de 2017, o BPI deixou de integrar o principal índice da bolsa portuguesa (PSI20), depois de o CaixaBank ter ficado com 84,5 por cento no capital do banco no âmbito de uma Oferta Pública de Aquisição (OPA), tendo-se mantido no índice geral.

Mais partilhadas da semana

Subir