Economia

Wall Street fecha am alta graças à divulgação ata da Fed sob política monetária

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em alta, depois de ter evoluído ao longo do dia em baixa, com os investidores a ganharem ânimo com a publicação da ata da última reunião de política monetária da Reserva Federal.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o Dow Jones Industrial Average valorizou 0,21 por cento, para os 24.886,81 pontos.

O Nasdaq avançou 0,64 por cento, para as 7.425,96 unidades, enquanto .

O S&P500 progrediu 0,32 por cento, para os pontos.

A Reserva Federal (Fed) pretende subir “em breve” as taxas de juro de referência, inalteradas desde maio, segundo a ata da última reunião do comité de política monetária (FOMC, na sigla em Inglês), divulgada hoje.

Sobre a inflação, os membros do banco central norte-americano salientaram que podiam aceitar um período em que a taxa excedesse os 2 por cento, na condição de ser “temporário”.

É porém “prematuro concluir que a inflação possa continuar em torno dos 2 por cento, em particular depois de vários anos durante os quais a inflação manteve-se de forma persistente abaixo dos 2 por cento”, ainda seguindo o texto da Fed.

“Apesar da recente subida (do índice dos preços no consumidor), ninguém está inquieto com uma subida significativa da inflação, pelo contrário, há mesmo quem observe que ela pode cair abaixo dos 2 por cento”, comentou Chris Low, da FTN Financial.

Esta situação sugere uma política de subidas de taxas menos agressivas para conter a subida dos preços, com os investidores a preverem três a quatro durante este ano.

Entretanto, mesmo em caso de subida agressiva das taxas, “os investidores parece que se estão a habituar à ideia de que vamos ter pelo menos quatro subida em 2018”, indicou Maris Ogg, da Tower Bridge Advisors.

A normalização monetária “começa a ser vista de forma positiva”, como sinal de uma economia em melhor condição, adiantou esta operadora.

A divulgação da ata permitiu aos índices recuperarem e terminarem em alta, depois de terem evoluído na maior parte da sessão em baixa, devido aos receios quanto ao desenvolvimento do dossier comercial sino-norte-americano.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir