Fórmula 1

Pneus da F1 para 2020 não convenceram pilotos e equipas em Austin

Os pneus da Fórmula 1 voltam a estar na ordem do dia e os de 2020 propostos pela Pirelli poderão vir a ser rejeitados, depois de muitos pilotos terem sido críticos após os treinos livres de sexta-feira do Grande Prémio dos Estados Unidos.

As equipas, numa comparação com as borrachas de 2019, não parecem ter ficado convencidas com os novos que a Pirelli levou para Austin, onde tiveram a oportunidade de experimentar pela primeira vez o C4 proposto para o próximo ano.

Claro que ainda se trata de uma versão protótipo, mas pilotos e chefes de equipa mostraram-se insatisfeitos. “Levamos tempo a analisar o que se passou”, referiu Christian Horner.

O chefe da Red Bull Racing explicou: “Os pneus não marcaram uma etapa positivo neste fim de semana, e penso que foi uma opinião unânima. Mas convenceram-nos a levar alguns dias para estudar os dados e tentar perceber porquê”.

Também Toto Wolff também se mostrou crítico. “É uma decisão que vem da Pirelli, da F1, da FIA e às equipas que vão utilizar os pneus no próximo. E cabe-nos a nós dar sequência aos comentários e escolher de seguida qual o que está melhor adaptado. Podemos ainda volta ao neu de 2019”, sublinhou o ‘patrão’ da equipa Mercedes.

Manter os atuais pneus é uma possibilidade a ser discutida com a Pirelli. O fabricante italiano preferia reformular os novos pneus, dado que se estão a falar de borrachas para a próxima época em carros desta temporada, como fez questão de salientar o seu responsável de competição.

“A pertinência destes dados é evidentemente comprometida, devido ao facto de se tratar de tratar de um pneu de 2020 num carro de 2019, que não foi otimizado para esta especificação de pneu. Ma permite pelo menos às equipas juntarem certas informações tendo em vista os testes finais no Abu Dhabi”, defende Mario Isola.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir