Nas Notícias

Diabetes pode ter cinco tipologias

A diabetes pode ser do tipo 1 ou do tipo 2. Mas há investigadores que defendem mais categorias, considerando que a doença tem variantes ‘suficientes’ para justificar ter cinco tipologias.

Os cientistas do Centro de Diabetes na Universidade de Lund (Suécia) e do Instituto de Medicina Molecular (Finlândia) explicam, com um estudo agora publicado na revista The Lancet Diabetes and Endocrinology, que a diabetes tipo 2 é demasiado abrangente e devia ser dividida em quatro categorias.

Sendo a forma mais frequente da doença, a diabetes tipo 2 está associada aos estilos de vida menos saudáveis, que levam a uma insuficiência na produção de insulina.

Já a diabetes tipo 1, ou autoimune, é uma doença do sistema imunitário, geralmente diagnosticada logo na infância.

Através da análise ao sangue de 14 775 diabéticos, os investigadores suecos e finlandesas defendem uma divisão do tipo 2 em quatro categorias.

O primeiro desses quatro novos tipos de diabetes englobaria as pessoas com indicadores saudáveis (como o peso), mas que não conseguem produzir a insulina necessária, embora sem que tal decorra de um problema no sistema imunitário.

Composto na grande maioria por jovens, estes diabéticos necessitam de insulina “quase tão cedo como os do tipo 1”, sustenta Leif Groop, o cientista que coordenou o estudo.

A segunda nova categoria (‘herdeira’ do tipo 2, recorde-se) seria aplicada aos diabéticos com excesso de peso e que produzem insulina, embora o organismo não a consiga processar.

De acordo com a investigação, tratam-se de pacientes mais propensos a doenças hepáticas e renais.

É também proposta uma categoria para a diabetes relacionada com a obesidade, formada por pessoas que, apesar da doença, registam poucas alterações ao nível metabólico.

Os investigadores propõem ainda uma categoria para a diabetes que surge em pessoas já com idade mais avançada.

Esta divisão da diabetes tipo 2 em quatro novas categorias justifica-se, no entender dos cientistas, pela vantagem em poder criar-se um tratamento específico para cada um desses quatro novos tipos.

Mais partilhadas da semana

Subir