Mundo

Defensora das armas foi atingida a tiro pelo filho de 4 anos, no carro

jamie gilt

Jamie Gilt, uma norte-americana que defende a posse e uso de armas para defesa pessoal, foi atacada a tiro… pelo próprio filho. A criança, de 4 anos, alvejou a mãe enquanto esta conduzia, em Jacksonville, na Flórida (EUA). A norte-americana sobreviveu e encontra-se estável.

Uma ativista das armas foi atingida por um tiro de calibre 45 disparado pelo próprio filho, de 4 anos.

O acidente ocorreu quando Jamie Gilt, de 31 anos e conhecida por defender a posse e uso de armas (uma eterna polémica na sociedade norte-americana), conduzia o carro.

A criança apoderou-se da arma, legal (Gilt tinha-a registado), e disparou acidentalmente, com a bala a atravessar o banco do condutor.

As autoridades não revelaram em que condições estava a arma para ter sido encontrada por uma criança de 4 anos, mas a mãe vai ser investigada por ter deixado uma arma carregada ao alcance de um menor.

Jamie Gilt foi transportada para o hospital, encontrando-se agora em estado estável.

A mulher chegou a publicar fotos, nas redes sociais, em que surge a segurar o filho num braço e com uma arma no outro.

Em fevereiro, Jamie Gilt alegou, numa discussão nas redes sociais sobre o direito a usar armas, que “o meu direito de proteger o meu filho com a minha arma é maior que o seu medo da minha arma”.

“Até o meu filho de 4 anos fica empolgado com o tiro ao alvo com uma [arma] calibre 22”, acrescentou a ativista pró-armas, ainda na passada segunda-feira.

2Shares

Mais partilhadas da semana

Subir