TV

Ataque de buldogue a porco fere… o ‘encantador de cães’ e a National Geographic

Num programa da série ‘Encantador de cães’, o buldogue Simon atacou um porco. Várias vozes se levantaram contra Cesar Millan, por ter ‘permitido’ a crueldade, obrigando a National Geographic a defender o apresentador. O canal frisou que o porco foi tratado e encontra-se bem.

O nome de Cesar Millan não é desconhecido dos amantes dos animais, mas não é a primeira vez que o ‘encantador de cães’ se encontra no meio de uma polémica.

A mais recente envolveu o ataque de um buldogue terrier a um porco.

Foram apenas alguns segundos, durante o programa ‘Cesar 911’, mas foi o suficiente para incendiar as redes sociais, com várias pessoas e associações dos direitos dos animais a apresentarem queixa por crueldade contra os animais.

O incidente ocorreu na propriedade que pertencia ao homem que pediu ajuda para disciplinar Simon, um buldogue terrier.

No momento em que Cesar Millan, de 46 anos, entrava na propriedade, Simon atacava um porco, que também ‘morava’ no local.

Como esse excerto do programa “causou preocupação” geral, os responsáveis pela National Geographic vieram a público defender o apresentador, tanto mais que o público “viu a situação fora do contexto geral”.

Em comunicado, o canal explicou que o porco foi assistido de imediato e que esse ataque acabou por contribuir para a análise comportamental de Simon.

“O porco mordido por Simon foi prontamente socorrido, tendo ficado bem rapidamente, sem sinais de tensão”, referiu a National Geographic.

Graças a Cesar Millan, continua o comunicado, Simon foi disciplinado de forma eficiente, “evitando que o cão se tenha de separar do dono ou ter que ser abatido”.

“Na sua carreira, o Cesar criou um ambiente seguro e controlado no seu centro de psicologia canina, onde conclui com êxito alguns dos mais extremos casos de reabilitação canina, como o de Simon”, destacou o canal: “É importante esclarecer que o Cesar tomou as medidas necessárias, como colocar uma trela longa no Simon, para avaliar o seu comportamento, antes de fazer as primeiras correções comportamentais”.

O ataque continua a ser investigado pelo Departamento de Proteção de Animais de Los Angeles.

2Shares

Mais partilhadas da semana

Subir